Brave, Not Perfect - Reshma Saujani

Brave, Not Perfect - Reshma Saujani

Aprenda com a fundadora da ONG Girls Who Code como ter coragem para agir, se permitir cometer erros e aprender com eles e crie a ousadia necessária para viver sem medo!

Você quer fazer não apenas tudo, mas tudo perfeito? Você fica martelando os pequenos erros que cometeu no dia? Você já deixou de encarar uma grande oportunidade por medo de falhar?

Você não está sozinha. Como mulheres, aprendemos desde cedo a não falhar. Nos encaravam como “sexo frágil” e não nos deixavam arriscar, com medo de nos machucarem.

Enquanto isso, os meninos eram encorajados a falar, correr riscos, e se falhassem, tentavam de novo. Ou seja, éramos ensinadas a sermos perfeitas, tendo medo de falhar. Já os meninos eram ensinados a serem corajosos.

Reshma Saujani, em "Brave, Not Perfect", vai te ensinar como se libertar da "armadilha da perfeição" e se tornar uma mulher mais corajosa para conquistar os seus sonhos.

O livro “Brave, Not Perfect”

Lançada em 2019, a obra aborda o problema de como as garotas aprendem desde cedo a serem perfeccionistas e com medo de falhar, ao invés de serem corajosas, e as consequências disso mais tarde na vida.

Reshma Saujani compartilha uma série de percepções e práticas para a coragem se tornar um hábito na sua vida. Com base em centenas de entrevistas com mulheres de todo o país, histórias de mulheres determinadas a transformarem o mundo, além de relatos da sua jornada pessoal em busca de aceitar as imperfeições.

O livro, inspirado no popular TED Talk de Saujani, revela a pressão das mulheres para parecerem perfeitas e os padrões de beleza que controlam as suas vidas.

Quem é Reshma Saujani?

Reshma Saujani é uma autora americana e fundadora e CEO da "Girls Who Code", uma organização sem fins lucrativos que visa aumentar o número de mulheres na ciência da computação. Ela foi nomeada pela Forbes como uma das mulheres mais poderosas que querem mudar o mundo.

Além de "Brave, Not Perfect", Saujani é autora de "Women Who Don't Wait in Line: Break the Mold, Lead the Way" e do best-seller "Girls Who Code: Learn to Code and Change the World".

Quem deve ler esse livro?

O livro "Brave, Not Perfect" é uma leitura para mulheres que querem ser mais autoconscientes em uma sociedade que nos ensina a sermos perfeitas. É indicado para aquelas que pensam em embarcar em qualquer tipo de desafio.

Reshma Saujani incentiva as mulheres a celebrarem o fracasso, pois acredita que se você correu risco, foi porque teve coragem para lutar pelos seus objetivos.

Já se você é um homem e se simpatiza com as causas feministas e de empoderamento feminino, com certeza esta leitura vai te agradar.

Quais são as ideias principais do livro "Brave, Not Perfect"?

  • Homens foram ensinados a se tornarem corajosos, enquanto as mulheres foram ensinadas a se tornarem perfeitas. Com isso, as mulheres têm medo de falhar;
  • Se você falhou, significa que você tentou. Se você tentou, significa que assumiu um risco. Celebre isso como um ato de coragem;
  • Preocupe-se mais em fazer aquilo que te faz feliz, do que com aquilo que querem que você faça ou que precise de aprovações externas;
  • Quando você trabalha duro para fazer com que todos gostem de você, muitas vezes acaba não gostando muito de si mesma;
  • Uma vez que você aprende a ser corajosa o suficiente para parar de se preocupar em agradar a todos e se colocar em primeiro lugar, é quando você se torna a autora capacitada de sua própria vida;
  • Rejeições são marcas de coragem, encare-as como algo normal e não como algo limitante.

Faça o Download do Resumo do Livro "Brave, Not Perfect" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] Brave, Not Perfect - Reshma Saujani, PDF

O que é a “cultura da doutrinação”?

Desde pequenas, as mulheres são criadas de uma forma que as faz sentir medo de falhar. Com medo de falar o que pensam, de fazer escolhas ousadas, de possuir e celebrar suas conquistas, e de viver a vida que querem viver, sem procurar constantemente aprovação externa. Em outras palavras: medo de serem corajosas.

As meninas passam a acreditar que, se não conseguem algo imediatamente, são burras. Você pode ver como isso nos impacta mais tarde na vida, já que muitas vezes, levamos até os menores erros diários como indicadores de limitação fundamental.

A "cultura da doutrinação", segundo Reshma, começa cedo, com os brinquedos. Meninos são incentivados a brincarem com brinquedos que estimulem a criação, como os legos.

Já as meninas, com brinquedos que estimulem habilidades motoras como escrever e fazer artesanato, desenvolvimento de linguagem e interação social.

A autora ressalta a influência de filmes de princesa na vida delas. Elas ficam expostas ao comportamento feminino estereotipado, de serem passivas, submissas, e a valorizarem características como serem magras e bonitas.

Além disso, a mídia social alimenta a expectativa de perfeição polida, talvez mais do que qualquer outra influência por aí. Garotas gastam muito tempo mostrando, nas redes sociais, através de fotos e publicações, como elas são populares, bonitas e descoladas. Além de gastarem muito tempo preocupando-se com o corpo.

O que significa ter coragem?

"A coragem é uma busca que acrescenta à sua vida tudo que a perfeição uma vez ameaçou tirar: alegria autêntica; sensação de realização genuína; domínio de seus medos e coragem de encará-los; abertura a novas aventuras e possibilidades; aceitação de todos os erros, gafes, erros e falhas que o tornam interessante, e que tornam sua vida excepcionalmente sua"

(Reshma Saujani)

As mulheres não precisam ser como homens para serem corajosas e obterem sucesso. "Seja corajosa como uma mulher" é o que Reshma clama. Isso significa que as mulheres devem fazer escolhas baseadas no que elas querem e o que as fazem felizes, não no que os outros esperam ou querem delas.

A autora ainda ressalta em "Brave, Not Perfect" que há preconceitos contra às mulheres nos locais de trabalho, na política e em outros lugares, mas que mesmo com esses impedimentos, você deve aceitar os desafios que apareçam, reconhecer que pode falhar e não desistir antes de tentar.

Como fazer da coragem um hábito?

Nessa parte do livro, Reshma Saujani dá estratégias concretas para as mulheres superarem pensamentos e atitudes autodestrutivas, através dos "desafios diários de coragem".

São eles:

Bem-estar

A autora diz que para adquirir o hábito de coragem, você deve, primeiramente, cuidar da sua saúde. Através de reservar um tempo para você dormir bem, meditar e programar um horário para a academia.

Mude o seu pensamento

Nessa estratégia, Reshma diz que se você fizer uma pequena mudança na forma de pensar, irá garantir um resultado impactante. Quando você se pegar fazendo uma declaração sobre suas limitações, lembre-se disso adicionando um "ainda" no final e você imediatamente sentirá a diferença.

Por exemplo, se você pensa: "Eu não sou corajosa", mude esse pensamento para: "Eu não sou corajosa ainda".

Faça o teste: "Drama x Sabedoria"

Quando você se deparar com uma situação desafiadora ou uma oportunidade e estiver com dúvida se vai encará-la pergunte para si mesma: "Isso realmente não é importante para mim, ou não estou fazendo isso por que estou com medo e fora da minha zona de conforto?" Ou, em outras palavras: "Isso é meu drama ou minha voz da sabedoria falando?"

"Você saberá que é sua sabedoria quando você se sentir em paz com sua decisão. A voz da sabedoria é calma, com senso de autoridade. O drama, por outro lado, tende a ser um pouco mais barulhento, mais nervoso e mais defensivo (imagine um chihuahua culpado). Se você ouvir suas desculpas, encontrar-se compelido a explicar sua escolha para quem quer ouvir, ou apenas se sentir vagamente decepcionado ou infeliz, é um sinal de que seu drama está chamando os tiros."

(Reshma Saujani)

O que te assusta mais?

Ao vivenciar uma situação que te dá medo, em vez de se concentrar no que assusta você, tente dar um passo para trás e perguntar a si mesma: "Qual seria o custo se eu não fizesse isso... e qual opção me assusta mais?"

Utilize o seu próprio conselho

Ao encontrar um desafio ou oportunidade e ficar sem saber o que fazer, pergunte a si mesma que conselho você daria a alguém nessa situação. Já que, em média, tomamos melhores decisões para outras pessoas do que para nós mesmas.

Defina os desafios diários de coragem

Nessa estratégia, a autora ressalta que não há um caminho definido para "tornar-se corajosa" a não ser tomar ações repetidas vezes que reforçam a coragem e não o medo. Dessa forma, ela pontua que se deve escolher uma das estratégias disponíveis por dia, e segui-las até se tornar um hábito.

Peça feedbacks

Nessa parte, a autora Reshma Saujani aborda a importância de se receber feedback para você evoluir, encará-lo como uma forma de você melhorar naquilo que foi pontuado, e não como uma crítica que te impeça de fazer o que deseja.

Reshma cita o livro "Garra: O poder da paixão e da perseverança", da Angela Duckworth para pontuar os argumentos desta autora que diz que as pessoas que têm coragem estão constantemente procurando melhorar.

Aceite as rejeições

A autora pontua que rejeições tornam as pessoas corajosas e aconselha a ler histórias de famosos e/ou de pessoas bem-sucedidas que passaram por várias rejeições até chegarem onde estão. Ela cita como exemplo de Steve Jobs, que foi demitido da sua própria empresa, a Apple, e isso não o destruiu e não o impediu de alcançar os seus objetivos.

Fale mais alto que o seu corpo

Para Reshma, 99% do nosso sentimento de medo é um alarme falso. No entanto, o nosso corpo não sabe diferenciar quando estamos em um perigo real ou quando é um "falso perigo" e acabamos expostas a ataques cardíacos, mãos suadas ou sinais que estamos em perigo.

Quando tentamos ser perfeitas, qualquer pequena falha ou erro irá enviar o sinal de que devíamos correr. O que devemos fazer é treinar para reconhecermos que, na maioria das vezes, devemos ignorar o alarme porque não é um sinal de perigo real. Isso é apenas a nossa ansiedade.

Comece antes de você estar pronta

Mesmo que você tenha acabado de ter uma ótima ideia, alguma "voz na sua cabeça" fala pra você não fazer aquilo, sem ter alguma razão. No entanto, Reshma afirma que você não deve deixar de fazer algo porque acha que está pronta. Já que você nunca vai saber de tudo.

O pior que pode acontecer, se você tentar, é falhar. Mas qual o problema disso? Se você não der os primeiros passos, sempre se perguntará o que perdeu. É muito melhor falhar por ter tentado, do que nunca sair do lugar.

Escolha o fracasso

Nessa parte, Reshma diz que não devemos ter medo do fracasso, ele faz parte para nos desenvolvermos e nos tornarmos pessoas melhores. Se você fracassou, significa que você tentou, então você teve um ato de coragem.

Faça algo que você não é boa

Reshma diz que não há nada melhor que treinar aquilo que consideramos não sermos boas, para aceitar que os erros fazem parte, e que se treinarmos, vamos nos desenvolver. Além disso, ela te aconselha a procurar uma atividade física que considere um desafio, para que assim você possa trabalhar a coragem.

Use as suas mãos

Se estiver em uma situação na qual precisa consertar alguma coisa e não faz ideia de como fazer isso, a autora de “Brave, Not Perfect” aconselha que, ao invés de pedir ajuda para alguém, você deve tentar com suas próprias mãos.

E se não conseguir, ligue para o suporte técnico para te aconselhar no que fazer, ou assista um tutorial no YouTube, por exemplo.

Confie e foque mais em você

Reshma Saujani afirma que devemos confiar em nós mesmas na tomada de decisões. Escutar o que o nosso instinto tem a dizer é um importante ato de coragem.

Além disso, você deve treinar o seu cérebro para focar menos no que os outros pensam e mais em quem você quer ser e no que você quer; aprender a dizer 'não' quando você não quer alguma coisa; não ter medo de fazer perguntas e persistir.

Ao fazer isso, você estará treinando para se tornar uma mulher corajosa.

Mais livros sobre empoderamento feminino

O livro "Faça Acontecer", de Sheryl Sandberg ensina que as mulheres são barradas no mercado de trabalho pelo preconceito, pela falta de oportunidade e muitas das vezes pela criação das próprias barreiras. E essas barreiras são: falta de autoconfiança, medo, sensação de incapacidade e inferioridade em relação aos homens.

Já em "The Wisdom of Failure", dos autores Laurence G. Weinzimmer e Jim McConoughey, é ensinado que desde pequenas escutamos que fracassar é ruim e tememos isso mais que qualquer outra coisa na vida. No entanto, devemos ver o fracasso como uma forma de aprendizado e crescimento.

Por fim, a obra Como as Mulheres Chegam ao Topo, de Sally Helgesen e Marshall Goldsmith, apresenta 12 hábitos que limitam o crescimento profissional de mulheres no ambiente corporativo. Além disso, a obra indica estratégias para superar essas práticas e incentivar a liderança feminina.

Então, como posso ser uma mulher mais corajosa?

Ao seguir as estratégias de Reshma Saujani para se tornar uma mulher mais corajosa, você vai encarar os desafios que encontrar pela frente com mais autoconfiança.

É hora de deixar que o medo a impeça de seguir os seus sonhos e dizer sim às oportunidade de contribuir para o mundo.

Quando falhar, encare isso como forma de aprendizado. Porque se falhou, é porque tentou, e se tentou, você teve um ato de coragem para assumir os riscos que podiam vir.

Gostou desse resumo do livro "Brave, Not Perfect"?

Não esqueça de deixar o seu feedback para a gente! Sua opinião é muito importante para nós!

Além disso, a versão em inglês do livro está disponível para a compra no link abaixo:

Livro Brave, Not Perfect

Adicionar aos favoritos
Ler mais tarde
Marcar como lido
Create Account
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!