Calma aí, P*rra! - Sarah Knight

Como identificar os motivos do seu surto e transformá-los em algo positivo? Aprenda com esse resumo como encarar os desafios da vida e retomar o controle de forma descontraída.

Favoritar
Salvar
Lido
Escolha sua linguagem:

Você perde horas imaginando as consequências de coisas que ainda não aconteceram? Sofre pelo que já passou e não sabe como lidar com o medo? Se a resposta for sim, o livro “Calma aí, P*rra!”, da autora Sarah Knight, foi feito para você.

Ele oferece dicas e técnicas de como eliminar esses sintomas, mais conhecidos como ansiedade - o mal do século - e te ajuda a encarar o fato de que “merdas” acontecem, independente do momento em que você esteja vivendo.

Quer saber mais sobre como retomar o controle da sua vida? Continue a leitura do resumo do livro “Calma aí, P*rra!” e nós te daremos um caminho!

 

Sobre o livro “Calma aí, P*rra!”

 

A obra, “Calma aí, P*rra!”, com título original “Calm the F*ck Down” (em inglês), foi escrita pela autora, Sarah Knight, em 2018, e publicada pela editora, Alta Booksem 2019.

Muito atual e com uma linguagem extrovertida, o livro explica para o leitor, no decorrer das suas 304 páginas, como se desvencilhar dos sintomas de ansiedade, controlando o que pode e aceitando o que não pode.

Ou seja, “Calma aí, P*rra!” é um manual que ensina a resolver os problemas do dia-a-dia, e tem como objetivo tornar sua vida mais fácil e leve.

 

Sobre a autora Sarah Knight

 

Sarah Knight é editora e escritora, além de autora best-seller do New York Times. Concluiu sua graduação com honras em Harvard University, e trabalhou durante 15 anos na cidade de Nova Iorque, passando pelas melhores editoras da Big Apple.

Seu primeiro exemplar, “A Mágica Transformadora do F*”, foi publicado em mais de 20 idiomas, e todos os livros da sua série, No Fucks Given Guides, são best-sellers internacionais.

Em 2015, ela decidiu trabalhar por conta própria como freelancer, e mora atualmente na República Dominicana, vivendo uma vida mais calma e prazerosa.

 

Esse livro é indicado para quem?

 

O livro “Calma aí, P*rra!” é uma obra de autoajuda indispensável para você, que sofre de ansiedade, seja ela proveniente de um transtorno mental ou de um estado de espírito temporário, e que já tenha buscado soluções que não deram certo.

 

Ideias principais do livro “Calma aí, P*rra!”

 

  • Aceite: “merdas” acontecem, com todas as pessoas e a qualquer momento;

  • Entenda os seus problemas e aprenda a lidar com eles;

  • As quatro faces do surto: reconheça em qual categoria você se encaixa;

  • Os fundos do surto: recursos que você desperdiça surtando;

  • Descongestionamento mental: coloque as lições em prática;

  • Avalie a probabilidade de uma “merda” acontecer, e se pergunte: posso controlar isso?;

  • Controle os seus surtos e deixe as preocupações de lado;

  • Preocupação Eficaz Útil e Produtiva (PEUP): converta suas preocupações em ações produtivas;

  • Conheça os três princípios para lidar com o seu problema.

 

Faça o Download do Resumo do Livro "Calma aí, P*rra" em PDF grátis

 

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

 

[Resumo do Livro] Calma aí, P*rra! - Sarah Knight, PDF

 

Merdas acontecem

 

A vida é um ciclo. Dentro de um intervalo de 24 horas, que chamamos de dia, uma infinidade de coisas estão sujeitas a acontecer, na minha vida, na sua, na vida de todas as pessoas.

Essas coisas podem ser boas ou ruins. Ou muito ruins. Ou seja, merdas acontecem! E esse é o tema central do livro “Calma aí, P*rra!”. Todos nós estamos suscetíveis a encarar problemas, e a forma como fazemos isso define as consequências deles.

Sarah Knight começa o livro explicando que reagir ao contratempo em pânico, ou dominado pela raiva, só vai piorar as coisas. Portanto, primeiramente, você precisa se acalmar!

Para começar, aprenda essas 6 lições:

 

  1. Não diminua o tamanho do seu problema para se sentir melhor. Ele é real e isso não ajudará em nada;

  2. As únicas coisas que você pode controlar diante do problema são você e a sua reação;

  3. Essa terceira lição é a “Prece da Serenidade”: tranquilidade para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para mudar as que podemos e sabedoria para entender a diferença;

  4. Não se preocupe com o “e se...”. Pode ser que ele não aconteça;

  5. Você pode evitar que parte da merda aconteça e diminuir as suas consequências;

  6. Entenda: nem tudo está sob o seu controle. Apenas siga em frente.

 

O objetivo maior da autora é fazer com que você, leitor, use a razão para lidar com o seu problema; e o primeiro passo é identificá-lo com realismo, pragmatismo e raciocínio lógico, pois tudo gira em torno da forma como você vê as coisas. 

Ou seja, se você está se sentindo mal, distraído, ou não consegue dormir à noite, acredite, isso é ansiedade, e por trás dela existe algum motivo que está lhe causando preocupação

É necessário descobrir o que pode se fazer a respeito, para isso não evoluir para um possível surto, definido por: “e se...”, preocupação, inércia e, por fim, o surto propriamente dito!

E se você chegou na fase do surto, é muito útil saber qual tipo você está tendo, pois todos são diferentes, e existem diferentes formas de neutralizá-los. Seus sintomas se manifestam de forma intensa, caracterizados principalmente por medo e tremores no corpo.

Isso não é nada bom. Tanto para sua saúde física quanto mental. Portanto, Sarah os classifica em 4 tipos, e determina a importância de conhecer o “inimigo”, para poder vencê-lo:

 

Ansiedade

 

De acordo com a frases de Sarah Knight: 

 

“Por exemplo, você pode achar que está com intoxicação alimentar, quando, na verdade, seu estômago está revirado devido à ansiedade”.

 

É como um curto-circuito gerado no corpo, causando sensações intensas de insegurança e angústia. Para a autora, mais conhecida como “antiguru”, o pior sintoma de ansiedade é pensar demais. Isso ocupa todo o seu tempo, e te tira do foco de todas as atividades diárias. 

Portanto, para combatê-la, concentre-se em um problema por vez. Mude o foco dos seus pensamentos, e busque solucioná-los por partes.

 

Tristeza

 

É uma das seis emoções básicas que todos os seres humanos possuem, e causa sentimentos de solidão, culpa, baixa autoestima ou dor. Você pode ficar triste por algum motivo real, ou não ter motivo algum. 

Independentemente das circunstâncias, não se entregue! A tristeza que perdura atrai mais problemas para a sua vida e se torna exaustiva, podendo virar um quadro de depressão. 

 

Raiva

 

A autora Sarah Knight exemplifica o sentimento da raiva contando um episódio que viveu com seu marido no aeroporto da Cidade do México. 

Após ela esquecer a passagem para entrar no voo, seu marido, frustrado, diante da possibilidade de ela não conseguir voltar para casa, externou esse sentimento em forma de raiva, e perdeu a paciência com os funcionários da companhia aérea.

Ela usou a razão naquela fração de segundos e o conteve. Graças a isso, eles conseguiram embarcar. A mulher ao lado lidou com o mesmo problema de um jeito muito pior. Resumo da história: ela não entrou no avião.

A raiva impede a capacidade crítica, ou seja, ela piora as coisas. Portanto, tenha paciência e se controle

 

Fuga

 

Sarah Knight chama esse sentimento de “Modo Avestruz”. É colocar a cabeça dentro da areia e fingir que não existe problema algum. Infelizmente ele existe sim, e ignorá-lo vai fazer isso virar uma bola de neve. 

A preocupação ainda estará lá, esperando para ser resolvida. Portanto, não fuja! Reconheça, aceite e lide com ela.

Seja qual for o tipo de surto que você tenha, o caminho mais simples para contorná-lo é mudar o ritmo:

 

“Uma estrutura simples para admitir suas preocupações: reconhecer suas reações prejudiciais e começar a revertê-las”.

 

Os Fundos do Surto

 

Sarah Knight, em seu livro "Calma Aí, P*rra!",  chama de Fundos de Surto (FSs) os recursos que você possui para evitar ou contornar um surto:

 

Esse é o orçamento para ligar o foda-se que você vai usar quando a merda acontecer”.

 

Use-os para se acalmar e lidar com o contratempo, de forma saudável e sensata, pois preocupar-se é desperdiçar tempo, energia e dinheiro. 

 

Tempo

 

Utilize o seu tempo com coisas úteis. Melhore a sua qualidade de vida, leia um livro (ou nossos resumos!), lide com os fatos da sua vida de frente, e busque solucioná-los. Esse recurso não volta atrás, e você só tem a perder quando o gasta surtando.

 

Energia

 

Sua energia física e mental é valiosa, e é tão importante gastá-la quanto repô-la. Se você não usa-a para coisas produtivas, que vão trazer benefícios para a sua vida, está desperdiçando a oportunidade de minimizar as preocupações e alcançar crescimento pessoal.

 

Dinheiro

 

Se o seu dinheiro for bem empregado, você terá um retorno satisfatório, e provavelmente vai reduzir a sua lista de problemas. 

Entrar em um estado de surto e tentar aliviar esses sentimentos gastando o que você pode e o que não pode, não vai te tirar da responsabilidade de resolver a situação. Pense e use o seu dinheiro de forma consciente para resolver esse “abacaxi”.

 

O Quarto Fundo

 

O último fundo é definido como a boa vontade que as pessoas têm com você, quando está surtando, ou passando por uma dificuldade. 

No entanto, esse fundo tem um limite. Se você está sempre em crise, sofrendo por coisas mínimas e reclamando de tudo com todos, essas pessoas, uma hora, vão perder a paciência, e desistir de te ajudar, acredite! 

Logo, não esgote a sua cota da boa vontade, pois:

 

“Quando você precisar de ajuda e solidariedade por algo válido, talvez eles não estejam mais ali”.

 

Para finalizar essa parte do livro “Calma aí, P*rra!", vamos avançar no nosso manual sobre como controlar o seu surto, e colocar em prática 2 ensinamentos.

Tudo o que você precisa fazer é organizar a sua mente. Sarah Knight chama isso de “descongestionamento mental”, que basicamente é descartar as suas preocupações irrelevantes, e organizar o restante para lidar com o problema.

Feito isso, crie o hábito de se perguntar: “Posso controlar isso?”

Essa é a forma padrão para medir se algo vale as suas preocupações, e o que você pode fazer a respeito. 

Saber usar esses recursos é praticar a sua inteligência emocional, ou seja, aprender a lidar com as próprias emoções, e usufruí-las em benefício próprio, equilibrando o lado emocional e racional do cérebro.

 

Merdacões

 

Nessa parte de “Calma aí, P*rra!”, Sarah foca o conteúdo do livro em situações que ainda não ocorreram (o já conhecido “e se...”), e a probabilidade delas acontecerem ou não. 

Funciona como a famosa escala Saffir-Simpson, que vai de 1 a 5 e mede a intensidade dos furacões. Porém, não lidaremos com furacões, e sim, “merdacões”!

Antes de entendermos a Escala de Merdacões, vale ressaltar que cada pessoa possui uma experiência diferente com um merdacão, e não é correto compará-los. Não podemos afirmar, por exemplo, que a sua frustração no emprego é mais importante que o pneu furado do meu carro.

Cada um tem um ponto de vista e uma vivência diferente.

Portanto, vamos lá:

 

  • Categoria 1: ALTAMENTE IMPROVÁVEL;

  • Categoria 2: POSSÍVEL, MAS IMPROVÁVEL;

  • Categoria 3: PROVÁVEL;

  • Categoria 4: ALTAMENTE PROVÁVEL;

  • Categoria 5: INEVITÁVEL.

 

Dando nome aos bois, qual a probabilidade de você obter sucesso na prova da faculdade estudando 8 horas por dia? Altamente provável. No entanto, se você deixar os estudos para a véspera, o tão sonhado 100 é possível, mas improvável.

Percebe-se que podemos controlar os merdacões da vida, ou, pelo menos, minimizá-los, e refletir sobre a probabilidade deles acontecerem é um exercício diário útil.

Isso ajuda a focar na realidade da situação, ao invés de fantasiar a forma como elas podem acontecer (“e se...”). A dica é: seja realista!

Vamos avançar mais um pouco nas dicas infalíveis sobre o controle dos surtos. Após a pergunta de ouro, “Posso controlar isso?”, precisamos diferenciar os tipos de controle exercidos em uma situação.

 

Fora de seu alcance

 

Segundo Sarah Knight, são coisas que fogem totalmente ao seu controle, como a previsão de chuva de 90% na sua viagem marcada para a praia. 

 

Faça uma contribuição

 

Você não tem poder para controlar o problema como um todo, mas pode minimizar os efeitos da merda. Já que vai chover na sua tão esperada viagem para o litoral, não adianta chorar e reclamar, apenas lembrar-se de levar guarda-chuva.

 

Sob sua influência

 

“Se não puder controlar esse problema, poderá influenciá-lo profundamente”.

 

Abastecer o seu carro vai evitar que você fique a pé, e tenha que empurrá-lo até o posto de gasolina mais próximo. Simples. 

 

Controle completo

 

São as merdas sobre as quais você tem total controle, a reação da sua ação (Terceira Lei de Newton).

Antes de arrancar os cabelos imaginando o “e se...”, avalie a situação, coloque na balança a importância daquele problema, e a probabilidade dele realmente ocorrer, perceba a sua influência sobre ele, pondere o que vale a pena, e o principal, ressaltado por Sarah Knight, pare de surtar!

Agora, se você não pode controlar o seu problema, mas também não consegue parar de se preocupar com ele, passando horas do seu precioso tempo distraído com isso, você precisa transformar a sua preocupação em algo eficaz, útil e produtivo (PEUP).

Faça algo de bom e necessário para a causa em questão, pois sair da inércia é o primeiro passo para evitar a ansiedade, e mesmo que essa atitude não mude muita coisa, a sensação de tentar melhorar o problema é melhor que a de não fazer absolutamente nada!

 

Lide com o problema

 

Chegamos na parte final do livro “Calma aí, P*rra!”. A merda já aconteceu, e você precisa aprender a lidar com ela. 

Responder a esse problema de forma construtiva pode ser desafiador, mas não é impossível, e é muito importante que você entenda a necessidade de se preparar emocionalmente quando o contratempo for inevitável.

Diante disso, Sarah Knight cita 3 princípios para enfrentá-lo:

 

  1. Avalie a situação, antes que ela passe de ruim para pior. Isso te ajudará a se acalmar e ter um plano de ação para agir no momento certo;

  2. Identifique seu resultado ideal realista (RIR), estabeleça uma meta viável, e seja honesto consigo mesmo para encontrar soluções cabíveis para o problema;

  3. Realize uma triagem mental das dificuldades, coloque como prioridade o que é mais urgente, ou seja, organize as suas merdas.

 

Além desses 3 ensinamentos, tente colocá-los em prática junto com mais algumas dicas infalíveis da autora:

 

  • Seja flexível quando a situação exigir;

  • Não desperdice o seu tempo procurando um culpado para o problema;

  • Estude, pois essa é uma das formas mais produtivas de ocupar a cabeça;

  • Faça o bem. Você não pode mudar o mundo, mas se doar para uma causa pode te oferecer consolo para os seus próprios problemas.

 

Está tudo conectado. A forma como você vê e encara as coisas muda-as. Seja positivo e acredite na melhora da sua vida. Os problemas sempre virão, e não há como escapar deles. Portanto, aceite-os, e mais importante: não surte!

 

O que outros autores dizem a respeito?

 

Para Augusto Cury, autor do livro “Ansiedade: Como enfrentar o mal do século”, a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA) pode ser controlada evitando o sofrimento antecipatório, libertando o pensamento e dando mais importância para a qualidade de vida. Esse é o caminho para uma vida mais feliz e menos ansiosa.

Em “F*deu Geral”, o autor Mark Manson defende a ideia de que para cada ação existe uma reação emocional oposta e de igual intensidade, criando uma lacuna mental, que é a sensação de que algo deu errado e você merece ser recompensado.

Já em “Seja singular!”, os autores Jacob Petry e Valdir Bündchen explicam que utilizar o tempo, energia, relações e capital (intelectual e financeiro), em prol dos seus objetivos, fará uma diferença significativa no futuro.

 

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

 

  • Pratique o descongestionamento mental, elimine dos seus pensamentos tudo que não seja relevante;

  • Ocupe a sua cabeça estudando ou fazendo exercícios de equilíbrio;

  • Organize os seus problemas, coloque-os em ordem de prioridade e foque em solucionar um de cada vez;

  • Saia da inércia, tome alguma atitude que possa mudar o cenário atual do seu contratempo, e transformá-lo em algo bom para a sua vida;

  • Cuide de você como se fosse cuidar de um amigo próximo que esteja passando por alguma dificuldade: assista ao seu filme preferido, tire um cochilo ou coma algo que goste;

 

Gostou desse resumo do livro “Calma aí, P*rra!”?

 

Esperamos que você tenha gostado do nosso resumo e consiga aplicar os conselhos da autora, Sarah Knight, na sua vida. Deixe sua opinião nos comentários, seu feedback é muito importante para nós.

Para se inteirar mais sobre o conteúdo, adquira o livro clicando na imagem abaixo:

 

Livro "Calma aí, P*rra!"

 

Nota:
O conteúdo apresentado acima traduz a visão e análise crítica da nossa equipe de redatores, respeitando os fundamentos de propriedade intelectual no Brasil (artigo 8, inciso I).
Nenhuma parte do livro está sendo copiada. São conteúdos únicos e exclusivos, sempre dando créditos aos autores e indicando o link para aquisição da obra completa. A PocketBook4You respeita o código de direitos autorais de acordo com o estabelecido na legislação brasileira, Lei 9.610/98.
Este conteúdo é de propriedade exclusiva da PocketBook4You e está protegido pela Lei de Direitos Autorais em seus artigos 46, I, (a) e em seu artigo 47, isso porque não se trata de reprodução e também não lhe implicam qualquer descrédito, pelo contrário, o direito moral é protegido e, como ressaltado anteriormente, o leitor recebe um link para adquirir a obra. É proibida a reprodução deste material sem a autorização da empresa.
Favoritar
Salvar
Lido
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!

Aprenda um novo livro a cada dia. Se inscreva na news e confira os destaques de hoje!