Guga, Um Brasileiro - Gustavo Kuerten

Guga, Um Brasileiro - Gustavo Kuerten

Conheça a história do maior tenista brasileiro e se inspire nessa incrível trajetória de garra e perseverança!

O tênis ainda é um esporte pouco difundido no Brasil, comparado ao futebol, mas quando nos referimos à ele, lembramos de Gustavo Kuerten, o Guga, considerado o maior tenista brasileiro e um dos maiores tenistas da história do tênis mundial. Através da sua autobiografia "Guga, Um Brasileiro", o atleta narra a sua fascinante trajetória e suas conquistas.

Quer saber como tudo isso aconteceu?

Então venha conosco e se emocione com essa história inspiradora!

Sobre o livro "Guga, Um Brasileiro"

O livro "Guga, Um Brasileiro" foi publicado em 2014. Essa autobiografia é um relato sincero e emocionante sobre a carreira do atleta como tenista, desde a sua infância até a conquista de títulos mundiais.

Gustavo Kuerten revela todos os seus sentimentos e acontecimentos marcantes, mencionando sua família e os obstáculos enfrentados, tudo isso com uma enorme riqueza de detalhes.

Sobre o autor Gustavo Kuerten

Gustavo Kuerten, conhecido como Guga, nasceu em Florianópolis em 1976. É ex-tenista profissional, possuindo inúmeros títulos, entre eles o tricampeonato de Roland Garros.

Por se tratar de uma biografia, todos os detalhes sobre o autor serão apresentados no decorrer da nossa análise.

Esse livro é indicado para quem?

"Guga, Um Brasileiro" é ideal para você que deseja conhecer biografias inspiradoras, com histórias de superação no esporte.

Além disso, o conteúdo é indicado para quem busca exemplos de valores, resistência, integridade e determinação.

Ideias principais do livro "Guga, Um Brasileiro"

  • Dos 3 irmãos, Guga era o atleta promissor;
  • Sua família e suas experiências foram os estímulos para que Guga seguisse sem desistir;
  • O ano mais marcante de sua carreira foi em 1997, quando ganhou o seu primeiro Grand Slam: Roland Garros;
  • A confiança, dedicação e persistência são características fundamentais para conquistar o sucesso;
  • Ter pessoas ao seu lado é essencial para alcançar o seu propósito.

Neste resumo, reunimos os pontos marcantes da sua infância, adolescência e carreira profissional. Então, vamos conhecer a história desse atleta tão querido pelos brasileiros?

Faça o Download do Resumo do Livro "Guga, Um Brasileiro" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] Guga, Um Brasileiro - Gustavo Kuerten, PDF

Overview: Infância

Toda a história contada por Guga é muito envolvente e empolgante. Ele inicia a narrativa falando de seus pais, relatando como eles se conheceram, a vida de casados, seus planos, suas formações e profissões. Aldo e Alice eram atletas e sempre estavam envolvidos com o esporte.

Ambos sempre sonhavam em ter filhos. Realizaram esse sonho e tiveram 3 filhos homens: Gui; Rafa, o cérebro da casa; e Guga, o atleta promissor.

Gui possuía sérias limitações para se locomover e se comunicar por conta de uma microcefalia e paralisia cerebral. Os médicos não davam 14 anos de vida para ele, mas viveu até os 28.

Além disso, o caçula Gui sempre apresentava complicações e precisava de cuidados a todo instante, com isso, Guga teve que aprender a gerenciar bem os seus pensamentos e o lado emocional, e isso o ajudou durante os jogos.

Cada ponto realizado no decorrer de todas as partidas era dedicado a Gui, o guardião de suas taças.

No início, o pai tinha certa rejeição de Gui, mas, com o tempo, ele abraçou a causa, e assim, Gui deu uma grande lição de vida à família inteira.

Gustavo Kuerten nos conta que aos 6 anos foi quando tudo começou. O tênis não tinha tradição, e Florianópolis não possuía nenhum lugar para treinar. Além disso, não era divulgado nada sobre o esporte na televisão, e isso fazia com que Guga não ficasse sabendo de quase nada.

Seu irmão mais velho, Rafael, sempre foi uma forte influência. Todas as coisas que ele fazia, Guga queria realizar também, e uma delas foi jogar tênis. Seu irmão era bom, e a meta de Guga era ser melhor que ele. Aos 6 anos se inscreveu na escolinha de tênis do LIC (Lagoa Iate Clube).

O tênis foi algo que uniu sua família, pois seu pai também tomou gosto pelo esporte. Rafael tinha ótimas habilidades e chegou até a ser técnico, mas parou para se dedicar à faculdade e, posteriormente, ser administrador da carreira do irmão.

A infância de Guga era marcada pela não monotonia. Ele e Rafa praticavam várias modalidades de esporte, frequentavam o clube constantemente e até chegaram a realizar campeonatos de pingue-pongue.

Guga considera que a sua maior perda veio aos oito anos, quando seu pai faleceu. No momento, ele e Rafa estavam em um torneio e, assim que chegaram a casa, sua mãe informou a notícia.

Com o falecimento, a mãe de Guga resolveu fechar a empresa de serralheria do pai e a única fonte de sustento era o emprego dela e alguns equipamentos vendidos da serralheria.

Segundo Guga em seu livro "Guga, Um Brasileiro", ela realizava uma mágica incrível para cuidar dos filhos, mesmo com o imenso buraco emocional aberto em suas vidas.

Apesar da morte de seu pai, ele continuou lá de cima sendo o anjo da guarda de toda a família, principalmente diante de duas situações marcantes: um acidente de carro com sua mãe e seus irmãos, e depois um arrastão no mar, enquanto surfava.

Overview: Adolescência

Até os seus 12 anos, Guga queria ser tenista, jogador de futebol e surfista, tudo ao mesmo tempo. Nessa época, boa parte da sua rotina era dedicada ao Clube Astel, onde ele se esforçava nos esportes.

No entanto, Gustavo Kuerten tinha que tomar uma decisão: o futebol no interior ou o tênis no mundo. O atleta conta que quanto mais resultado obtia no tênis, menos saudades tinha do futebol.

O tênis sempre foi visto como um esporte praticado por pessoas com condições financeiras melhores e não era tão difundido no Brasil. Sua família não tinha dinheiro para que ele participasse dos torneios, e então uma saída foi prospectar apoiadores.

Larri Passos era um dos técnicos mais cobiçados da região. Seu pai realizou um churrasco para atrair Larri a treinar Guga, um ano antes de falecer. No momento, ele não aceitou, mas prometeu a Aldo que futuramente iria treiná-lo, e isso aconteceu 3 anos depois.

Dessa forma, com o auxílio de Larri, as coisas começaram a mudar bastante. O técnico era uma pessoa totalmente rigorosa, exigente e sempre que falava era com o intuito de motivar, pois tinha uma missão e um compromisso com o pai de Guga.

Segundo a autobiografia "Guga, Um Brasileiro", Larri passou a ser seu treinador oficial, traçando uma estratégia para levar o menino longe e fazer com que extraísse o máximo de desempenho dele, tudo isso realizado com muito sacrifício.

A carreira de Guga se desenvolveu como uma escada, subindo um degrau de cada vez, e aos poucos ele foi se tornando um dos melhores tenistas da região e do seu estado.

Dado isso, precisava de novos desafios, e então realizou uma viagem para a Europa a fim de enfrentar os melhores por lá, encarando só "pedreira".

Ao completar seus 19 anos, a porta do juvenil estava se fechando, só restando o profissional. Isso fez com que o tênis deixasse de ser apenas sonho e se tornasse sobrevivência.

Ainda nesse período, ele alcançou uma das suas maiores realizações: foi convocado para a seleção brasileira.

Uma passagem interessante do livro "Guga, Um Brasileiro" é a definição de campeão. Guga sempre considerou o campeão não como sendo o melhor de todos, mas o que "resolve os pepinos" que aparecem no percurso e ganham o jogo no final.

Overview: A carreira de Guga ano a ano

Toda sua carreira e os momentos mais importantes de cada partida são muito bem retratados no decorrer da obra. Guga consegue expor todas suas emoções, pensamentos e os acontecimentos de dentro e fora das quadras.

O tenista relata que os acontecimentos da sua infância e adolescência geraram grandes estímulos que ajudaram nas viradas sensacionais durante as partidas.

Em seus jogos e a cada novo desafio, ele sempre agia com muita positividade e confiança. Ativava o "modo Gui" e sempre dizia para si mesmo: "um passo de cada vez", "se concentra no seu melhor", "não vou errar mesmo".

O primeiro ano em que Guga atuou como profissional foi em 1995, iniciando sua carreira em 187º no ranking mundial. Ele conseguiu chegar às finais de challenger individual e em duplas, porém acabou perdendo em ambas. Neste mesmo ano, ele integrou-se à equipe de treinamentos da Copa Davis.

Em 1996, as coisas foram evoluindo, estreou com vitória na Copa Davis, conquistou o seu primeiro título de torneios challengers, disputou na chave principal de Roland Garros e venceu o primeiro ATP (Associação de Tenistas Profissionais, responsável por organizar os torneios).

Segundo Guga em seu livro "Guga, Um Brasileiro", não haverá ano mais fabulosamente estranho que 1997, pois foi nele que ocorreu a virada de chave em sua vida. Os resultados começaram a se tornar fantásticos e até conseguiu patrocínios sem precisar correr atrás, como a Diadora e o Banco do Brasil.

Nesse período, Gustavo Kuerten derrotou 3 ex-campeões do torneio e conquistou o tão famoso Roland Garros. Além disso, ganhou vários ATP's e conseguiu ocupar a posição 14º no ranking.

Todo o sucesso foi progredindo, e ele alcançou vitórias inéditas, como o título Masters Series, derrotando o tenista número 1 do mundo.

2000 foi marcado como o ano de recordes, momento em que teve mais vitórias em sua carreira, total de 63, e se tornou o número 1 do mundo. Alcançou o bicampeonato de Roland Garros e o Masters Cup, disputou a sua primeira olimpíada e levou o Brasil à semifinal da Copa Davis.

No ano seguinte, Guga obteve mais títulos e o tricampeonato de Roland Garros, terminando o ano como número 2 do mundo. Com todas as conquistas de Guga, os brasileiros passaram a se interessar mais pelo tênis, fazendo com que fosse mais divulgado, expandido pelas transmissões de TV e jornais.

O atleta vinha de uma série de treinos e campeonatos por um longo período, sempre exigindo o seu máximo, sem ter tempo para descansar o corpo. Isso fez com que, em 2002, os problemas no quadril começassem a aparecer, fazendo com que ele fosse afastado por alguns meses e realizasse sua primeira cirurgia.

Mas assim que voltou, chegou a hora de conquistar o seu primeiro título no Brasil, o torneio de tênis Brasil Open. Além disso, continuou com suas vitórias em alguns ATP's.

Guga conquistou seu último título em 2004, do Brasil Open. Neste mesmo ano, ele venceu uma partida sobre o número 1 do mundo, Roger Federer, e participou da sua segunda olimpíada. No final do ano, foi submetido a uma artroscopia no quadril.

Os anos de 2005 a 2007 foram marcados por baixa participação nos jogos e poucas vitórias, isso tudo decorrente dos problemas enfrentados no quadril. No final do ano de 2007, Guga ocupava a 6. 800º no ranking.

Assim, em 2008, aos 31 anos de idade, Guga resolveu se aposentar. Realizou uma turnê de despedida do Circuito Mundial e ganhou a criação de um prêmio com seu nome.

Conforme narrado na obra "Guga, Um Brasileiro", o tenista seguiu sua carreira no esporte, mas de outra forma. Passou a receber convites para integrar comissões, sendo valorizado por toda sua participação de sucesso no tênis.

O que outros autores dizem a respeito?

Jim Collins e Morten Hansen, no livro "Vencedoras por Opção", apresentam um princípio que indica: primeiro balas de revólver, depois balas de canhão. Isso é perfeitamente aplicado por Guga no início de seus confrontos, primeiro enfrentando adversários locais e nacionais, ou seja, com menos técnicas, e depois competindo com atletas de alto rendimento, considerados os melhores do mundo.

Já o livro "As 16 Leis de Sucesso", de Jacob Petry, explica que é importante possuir um propósito claro, específico e atingível para o seu caminho, focando todas as energias e pensamentos na conquista de seu sucesso.

Por fim, em "Desperte seu Gigante Interior", Tony Robbins esclarece que manter o comprometimento com as suas decisões pode ser desafiador, mas quanto mais você tenta, mais fácil fica.

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

  • A autoconfiança nos dá a certeza que precisamos para utilizarmos o nosso máximo potencial em busca de nossos objetivos;
  • Ter um treinador ou mentor é fundamental, principalmente quando o desafio se torna maior;
  • Tenha um propósito bem definido, pois isso nos leva a buscar soluções para continuar, nos mantendo focados, firmes e motivados;
  • Tenha sempre uma fonte de aprendizado e inspiração.

Gostou desse resumo do livro "Guga, Um Brasileiro"?

Esperamos que você tenha gostado do nosso resumo e consiga aplicar os ensinamentos de Guga em sua vida. Deixe sua opinião nos comentários, pois seu feedback é muito importante para nós.

Além disso, a edição completa dessa incrível história está disponível para compra na imagem abaixo:

Livro 'Guga, Um Brasileiro'

Adicionar aos favoritos
Ler mais tarde
Marcar como lido
Create Account
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!