O Melhor do Cortella - Mário Sérgio Cortella

Cortella reuniu seus melhores insights sobre filosofia, política e religião para uma reflexão e você pode conferi-los aqui!

Favoritar
Salvar
Lido

Você já se perguntou por que fazemos o que fazemos? Já questionou a sua existência? Afinal, qual é a tua obra neste vasto universo, não é mesmo? Nesse resumo do livro "O Melhor do Cortella" reunimos os pontos mais importantes retratados pelo autor ao longo de sua história.

O ser humano adquiriu a graciosidade (ou maldição) de poder pensar sobre as coisas. Isso tem gerado inúmeros feitos, como a ciência, a tecnologia e a arte, mas ainda assim existem grandes mistérios, os quais a filosofia e a religião tentam explicar.

Organizamo-nos em sociedades, onde a justiça é feita, ou pelo menos é o que a política diz em sua teoria. Mas será que a política não é apenas um reflexo do que somos?

Bem, Cortella, um dos maiores intelectuais brasileiros, já falou sobre tudo isso através de suas quase quarenta publicações. E ele reuniu seus melhores insights sobre tais temas em um único livro.

Confira nesse PocketBook o que Cortella tem a nos contar!

Sobre o livro "O Melhor do Cortella"

"O Melhor do Cortella: trilhas do pensar" é o primeiro livro do projeto que reúne as mais valiosas dicas e insights do autor Mário Sérgio Cortella. O projeto também tem a obra que fala sobre as "trilhas do fazer".

Publicado em 2018, o livro conta com frases e ideias de diversas outras obras de Cortella, divididos em quatro seções: Filosofia; Política; Religião e; Ciência e Arte.

Sobre o autor Mário Sérgio Cortella

Mário Sérgio Cortella é um dos maiores escritores e intelectuais do Brasil.

Com mais de 30 anos de escritos, ele já escreveu quase quarenta obras, incluindo "Por que fazemos o que fazemos?", "A sorte segue a coragem" e "Qual é a tua obra?".

Esse livro é indicado para quem?

Para toda pessoa que deseja conhecer os insights das diversas obras de Mário Sérgio Cortella e entender seu ponto de vista sobre filosofia, política, religião e ciência e arte.

Além disso, esse livro causa um impacto que nos faz refletir sobre nossa existência e nossa sociedade.

Ideias principais do livro "O Melhor do Cortella"

  • Existimos, pois fazemos. Pensamos, pois fazemos;
  • "Se algum ser humano não for livre, ninguém é livre";
  • O aprendizado não vem dos erros, mas sim da correção dos mesmos;
  • Não existe neutralidade na política;
  • Democracia é ausência de opressão, não de regras;
  • A arrogância do ser humano é achar que é proprietário do mundo;
  • Nem toda informação disponível é informação qualificada.

Faça o Download do Resumo do Livro "O Melhor do Cortella" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] O Melhor do Cortella - Mario Sergio Cortella, PDF

Filosofia

Mário indaga: "Por que parar para pensar?"

A gente precisa tirar um momento para deixar de fazer e começar a pensar? Quando você faz as coisas, você não está pensando?

"Assim existimos: fazendo. E, porque fazemos, pensamos. E, porque pensamos, fazemos nossa existência."

A nossa existência não é ao acaso; assim é o medo. Nossos maiores medos não são daquilo que a gente vê, e sim daquilo que a gente não vê. Cortella afirma que temos um medo universal: o medo da solidão.

Ele traz o conceito de duas palavras semelhantes, mas que expressam ideias diferentes: solidão e solidariedade. Enquanto a primeira reflete a ideia de estar "por si só", a segunda "dá a firmeza à vida coletiva".

Quando vivemos coletivamente, apreciamos e usufruímos da felicidade, pois ela não é individual, segundo o autor. Ele traz a seguinte analogia:

"Felicidade é como a liberdade: a minha liberdade não acaba quando começa a do outro; acaba quando acaba a do outro."

"Se algum ser humano não for livre, ninguém é livre", complementa.

Erros e acertos

Será que os acertos vem mesmo dos erros? Não é o que Mário Sérgio Cortella acha.

Existe um provérbio bem famoso que diz que "é errando que se aprende". O autor acredita que, na verdade, o aprendizado vem da correção dos nossos erros. Se não fosse assim, quanto mais errássemos, mais sábios seríamos. E não é verdade.

Política

"Política não é obrigatoriamente consenso. Consenso é uma parte do ato político, mas não é a única forma de lidar com as diferenças."

Nesta parte, o autor destaca uma definição histórica que mostra que todo cidadão é político. Política vem do grego polis, que significa "sociedade, cidade"; enquanto cidadania vem do latim civitate, que também significa "cidade".

Logo, alguém ser "político" ou "cidadão" é apenas uma "escolha de um idioma".

Outros conceitos são trazidos pelo autor, como a democracia, que pode ser confundida com baderna, ausência de leis..., quando na verdade ela é apenas "a ausência de opressão".

E quando há opressão, há intolerância. E quando há intolerância, há disputa por poder. Afinal, para quê o poder? Bem, reflita a seguinte citação:

"A finalidade do poder é servir. (...) E todo poder que, em vez de servir, se serve, é um poder que não serve. A finalidade do poder não é servir a si mesmo."

Por fim, Cortella traz a importante reflexão de que não existem pessoas neutras com relação à política. Essas pessoas que preferem "não se meter" têm sim um lado: o do vencedor, mesmo que esse vencedor eleito não as satisfaça.

Religião

Cortella afirma que uma das maiores dificuldades do ser humano é respeitar a convicção religiosa alheia.

O que não é mentira, a sociedade possui preconceitos enraizados principalmente para com as religiões que não têm poder de voz.

Por exemplo, você acha engraçado falar "chuta que é macumba"? Se sim, repense.

A religião não existe para deixar a pessoa mais sábia, mas sim mais forte. Ela inspira, segundo o autor, a "refletir sobre a nossa rota e o nosso lugar no mundo".

A religiosidade é mais do que apenas acreditar em algo; ela consiste na sua conexão com a natureza, com o mistério, com a Vida. "Não é só a obra humana que me encanta; a natureza também. E, para mim, ela é marca de espiritualidade", afirma Cortella.

Ciência e Arte

Quem somos nós? No universo, apenas um ponto - talvez nem isso. Na Terra, somos seres que compartilham o mesmo espaço com milhões de espécies diferentes. Para se ter uma noção, para cada humano, existem 7 bilhões de insetos!

Por que temos a astúcia de achar que somos os donos do mundo? O tamanho da nossa insignificância perante o mundo é proporcional a nossa arrogância de achar que somos significantes: ou seja, grande.

Se somos tão importantes quanto achamos, por que não fazemos para além de nós mesmos? Por que continuamos destruindo a Terra, já que somos "donos" dela?

Fazemos as coisas para nós mesmos. E temos feito grandes feitos. A arte, a tecnologia, a escrita, a ciência... é de se admirar, de fato.

Todas essas coisas têm contribuído para construirmos nosso modo de agir, entendermos o nosso modo de sentir, e tudo isso estimula o nosso pensar.

Com o nosso pensamento, sabemos que existimos. Pensando, nós fazemos, e além: nós criamos.

A tecnologia no século XXI

No mundo digital que estamos hoje, temos que tomar cuidado com a grande gama de informações que temos acesso. Cortella alerta que "informação disponível não significa necessariamente informação qualificada."

Algumas informações são criadas intencionalmente de modo a convencer um grande público a atender um desejo privado. Não é à toa que a sociedade tem sofrido uma manipulação massiva com o uso de fake news.

O que outros autores dizem a respeito?

Em "Princípios", Ray Dalio te mostrará que sonho, realidade e determinação te farão alcançar uma vida de sucesso ao fazer com que os princípios da vida e o do trabalho caminhem juntos, tendo a mente aberta.

Já em "Como Sair do Labirinto", o autor Spencer Johnson aconselha a não basearmos nossas convicções em verdades absolutas. Filtrar nossos pensamentos para que não influencie negativamente em nossas emoções e nosso desempenho é fundamental.

Por fim, Daniel Goleman em "Inteligência Emocional" nos orienta a falarmos sobre nossas próprias emoções para, assim, as compreendermos; nosso sucesso depende do quão bem lidamos com elas.

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

  • Reflita sobre sua existência;
  • Respeite as religiões alheias (ou a ausência dela);
  • Lute por um lugar democrático;
  • Lembre-se que a felicidade é coletiva;
  • Contemple as criações do ser humano, mas saiba que todos os seres vivos têm seu lugar no planeta. Somos apenas mais um;
  • Tome cuidado com as informações falsas e tendenciosas;
  • Não seja "neutro" na política. O próprio Cortella diz que quem se declara neutro está do lado do vencedor. Você está satisfeito onde está?

Gostou desse resumo do livro "O Melhor do Cortella"?

Conte-nos o que achou desse resumo nos comentários. Se quiser adquirir a obra na íntegra, o link de compra está disponível clicando na imagem:

Livro 'O Melhor do Cortella'

Nota:

O conteúdo apresentado acima traduz a visão e análise crítica da nossa equipe de redatores, respeitando os fundamentos de propriedade intelectual no Brasil (artigo 8, inciso I).
Nenhuma parte do livro está sendo copiada. São conteúdos únicos e exclusivos, sempre dando créditos aos autores e indicando o link para aquisição da obra completa. A PocketBook4You respeita o código de direitos autorais de acordo com o estabelecido na legislação brasileira, Lei 9.610/98.
Este conteúdo é de propriedade exclusiva da PocketBook4You e está protegido pela Lei de Direitos Autorais em seus artigos 46, I, (a) e em seu artigo 47, isso porque não se trata de reprodução e também não lhe implicam qualquer descrédito, pelo contrário, o direito moral é protegido e, como ressaltado anteriormente, o leitor recebe um link para adquirir a obra. É proibida a reprodução deste material sem a autorização da empresa.

Adicionar aos Favoritos
Adicionar Para Ler
Marcar como Lido
Experimente ser premium

Experimente ser premium

Aprenda um novo livro a cada dia. Se inscreva na news e confira os destaques de hoje!