Obrigado pelo Marketing - Vitor Peçanha

Obrigado pelo Marketing - Vitor Peçanha

Aprenda como se tornar um grande profissional do marketing de conteúdo e convença as pessoas a agradecer pelo seu trabalho.

Alguns questionamentos bem legais são trazidos pelo livro "Obrigado pelo Marketing". Você já se imaginou em um mundo onde não pudéssemos escolher o conteúdo que absorvemos? Já pensou ter de assistir as propagandas até o final, ou esperar para que o que realmente interessa volte à tela?

As pessoas que nasceram antes de 1995 passaram por isso; e quem nasceu depois não se vê nesse mundo, não é mesmo? A liberdade de escolha e as opções de conteúdo só aumentaram com a chegada da internet.

Espertos são aqueles que, como você, estão interessados em investir em marketing de conteúdo, a nova e eficaz vertente do marketing. Preparado para aprender sobre ela com esse resumo?

Sobre o livro "Obrigado pelo Marketing"

Lançado em 2017, pela editora Benvirá, "Obrigado pelo Marketing" é um guia para a imersão no marketing de conteúdo.

De forma didática e simples, o autor passa, através das 238 páginas, por ferramentas e métricas que podem deixar mais fácil a vida de quem deseja saber tudo sobre como lançar conhecimento na internet.

Sobre o autor Vitor Peçanha

O mineiro, Vitor Peçanha, é cofundador da Rock Content, empresa de marketing de conteúdo criada a partir do hobby dos seus fundadores: ler artigos de blogs.

Peçanha largou a faculdade de economia na Itália e se dedicou à faculdade de publicidade e propaganda na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), na sua cidade natal, Belo Horizonte.

Referência nacional em marketing de conteúdo, o autor também realiza palestras e consultoria.

Esse livro é indicado para quem?

Se você quer ser agradecido pelo marketing de conteúdo que faz, a leitura do livro "Obrigado pelo Marketing" é obrigatória.

Além disso, ela também é indicada para todos aqueles que desejam se desprender das raízes antigas do marketing e adentrar a nova era com a melhor estratégia possível.

Ideias principais do livro "Obrigado pelo Marketing"

  • O passo essencial para se fazer um bom conteúdo é traçar uma boa estratégia;
  • O que é preciso para criar e distribuir conteúdos que serão realmente úteis para a audiência que você busca;
  • Como atrair clientes e otimizar seus resultados.

Está pronto para essa jornada? Vamos nessa!

Faça o Download do Resumo do Livro "Obrigado Pelo Marketing" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do resumo do livro "Obrigado pelo Marketing" em PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] Obrigado pelo Marketing - Vitor Peçanha, PDF

As três perguntas fundamentais da estratégia

Vitor Peçanha começa mostrando como produzir uma boa estratégia. Mas, ao mesmo tempo, fala que apenas a prática leva à perfeição. Então arregace as mangas e produza conteúdo desde já.

Para compor uma estratégia, precisamos fazer três perguntas fundamentais:

  1. "Por quê?";
  2. "Para quem?";
  3. "Como?".

Por quê?

O primeiro passo na definição da estratégia é saber o motivo pelo qual você escolheu o marketing de conteúdo quando comparado a outras formas de marketing, por exemplo, a publicidade.

O marketing de conteúdo vai atrair mais pessoas e, diferente da publicidade, vai gerar uma maior interação do público com a marca e, consequentemente, com seus produtos.

Um objetivo, que particularmente agrada ao autor, é educar o mercado. Consiste basicamente em mostrar o problema que o público tem e a sua solução. É muito visto em empresas que possuem produtos complexos, como as de tecnologia.

Gerar autoridade é um objetivo que não é muito escolhido, mas acaba acontecendo. Ser autoridade no assunto significa ser referência, fazendo com que as pessoas tenham preferência pelo seu produto.

Para quem?

Depois de definir o objetivo do seu marketing de conteúdo, é necessário pensar para quem ele será feito. É importante pensar que quanto mais segmentado for seu nicho, menor será seu alcance, porém, maior será seu engajamento — pois você será capaz de propor uma solução mais direcionada às dores dele.

Esse relacionamento com o cliente deve ser a longo prazo, e, por isso, a geração de conteúdo deve ser contínua, evitando as famosas "campanhas de marketing".

A persona é um personagem fictício que deve ser feito baseado nos interesses do cliente que você deseja alimentar. Deve-se lembrar que o número de produtos em um portfólio não equivale ao número de personas que serão desenvolvidas.

Apesar de serem fictícias, as personas são feitas com base em dados, sendo a coleta destes uma das fases mais importantes.

A aquisição de dados pode ser feita através de pesquisas e questionários, utilização do Google Analytics, Facebook, LinkedIn, e muitas outras que descrevem um grupo de clientes.

Como?

Sabendo o seu objetivo com o marketing de conteúdo, e quais personas serão atingidas por ele, é necessário criar a ponte entre eles, o "como".

Para começar o autor nos pergunta se, para realizarmos a divulgação de roupas infantis, utilizaremos o feed do Instagram ou os artigos do LinkedIn. Claramente, a persona e o objetivo nos ditam algumas regras para a escolha do canal, não é mesmo?

Os canais que vão levar esse conteúdo em um formato já decidido não são menos importantes, afinal, seu público entra em redes sociais específicas, assiste vídeos online ou interage com sua marca de diversas formas.

  • Mídia própria: são meios próprios de comunicação com os clientes. É o espaço que você controla, ou seja, seu site.
  • Mídia adquirida: métodos orgânicos que levam o seu cliente até sua mídia própria. São compartilhamentos, posicionamento orgânico em sites de busca, entre outros.
  • Mídia paga: quando a empresa paga para outros levarem seus clientes até sua mídia própria. É o caso do Google Adsense e mídias pagas em redes sociais.

O livro traz uma parte importante sobre o canal dos blogs, ressaltando que é através dele que ocorre a atração de pessoas que realmente se importam com seu conteúdo.

Já nas redes sociais, o autor apresenta a regra 3 3 3, que significa que você deve publicar "cada conteúdo 3 vezes, em 3 horários diferentes, usando 3 chamadas diferentes", podendo variar de acordo com a rede social e o engajamento dos seus clientes.

Produção de conteúdo

Todo mundo sabe que, mesmo atraídos pela estética, um bom texto prende nossa atenção mesmo com design simples e teoricamente "sem graça". Por isso, para se fazer um excelente marketing de conteúdo, precisamos de um excelente texto.

Uma notícia, por exemplo, é um conteúdo postado que representa o momento atual do assunto. Já um conteúdo perene, ou evergreen, mantém um tráfego recorrente, já que as pessoas podem se interessar por ele hoje ou daqui a um mês, por exemplo.

Criar um bom texto significa que você conseguiu duas coisas: atraiu o público que pretendia, e o manteve interessado o maior tempo possível. Se este é um bom texto, você com certeza chegará na parte em que falarei do alinhamento do marketing às vendas.

O título do texto deve ser atrativo, já que será o "cartão de visitas" do seu conteúdo.

Mas nada disso adianta se o título for sem pé nem cabeça e não tiver nada a ver com a estrutura do post, certo?

Para o conteúdo em si, o autor explica a pirâmide invertida, e dá ênfase a essa técnica para a internet. Esse modelo diz que o conteúdo com maior relevância fica no início do texto.

Online é ainda mais imprescindível essa técnica, já que você precisa capturar a atenção do leitor logo no começo, fazendo ele ficar mais tempo no site.

Além disso, com os links que redirecionam para outra página, o leitor pode se engajar em outro conteúdo, não finalizando a leitura do post em questão. Não se preocupe se acontecer isso, é o esperado!

Outra maneira de se escrever um bom texto é levar em consideração que o leitor faz um escaneamento do conteúdo antes da leitura. Para isso, podemos seguir alguns passos que façam com que a pessoa se envolva com o texto:

  • Faça parágrafos curtos;
  • Coloque intertítulos;
  • Deixe palavras em destaque;
  • Coloque imagens;
  • Faça listas;
  • Dê exemplos.

O autor fala também sobre ferramentas de SEO, Search Engine Optimization, que englobam vários fatores que o profissional do marketing de conteúdo deve saber e estar atento.

Porém, existem fatores que, muitas vezes, não são de sua alçada, mas que precisam de alguma atenção, como:

  • Tempo de carregamento do site;
  • Responsividade do site;
  • Duplicidade de conteúdo;
  • Problemas técnicos em geral; e
  • Páginas seguras.

A única forma de manter pessoas engajadas com os conteúdos que você lutou tanto para fazer é criando textos excelentes, utilizando as técnicas que o autor trouxe e muitas outras.

Otimização de resultados

Funil de vendas

Funil de Vendas

Consiste em um funil, como aqueles de cozinha, que determina a jornada de compra dos clientes em uma determinada empresa. O topo é mais largo e o fundo mais fino, demonstrando a perda de pessoas no processo.

O topo do funil é quando a pessoa descobre que tem um problema e que precisa de uma solução. É nessa área que se destaca o marketing de conteúdo. Seu objetivo é criar a maior audiência possível, já que apenas parte segue para o meio.

O meio do funil se dá quando a pessoa já está ciente do seu problema, e procura formas de resolvê-lo. Nesse momento, é necessário que você tenha a solução do problema dela dentro do seu conteúdo.

As pessoas que passam pelo meio do funil e chegam ao fundo são aquelas que decidiram adquirir seu produto, então é natural que essa parte seja um pouco mais publicitária.

É importante lembrar, por fim, que a jornada do cliente nesse funil não é totalmente linear. Ele pode cair diretamente em um conteúdo de meio, e ir para o topo e voltar em um texto de topo depois de vários do meio. O que torna ainda mais importante a frequência de postagem de conteúdo.

Geração de Leads

Voltando à definição de Lead: é aquela pessoa que se interessou pelo seu conteúdo. Em um mundo digital, o lead normalmente é marcado pelo seu e-mail, ou alguma outra forma de contato.

A pessoa que te passa o e-mail está dando permissão para entrar em contato com ela.

Por esse motivo, para gerar leads qualificados, é necessário que a lista tenha pessoas que realmente se interessem pelo conteúdo e, consequentemente, pelo produto a ser oferecido.

Se o funil de vendas estiver bem formulado e o cliente passar pela sequência lógica que você planejou e desejou, a geração de leads será tão recorrente quanto a leitura do seu conteúdo.

Métricas

Quantas pessoas você consegue atingir com uma publicação? Quantas pessoas realmente viram? Quantas pessoas clicaram no link para fazer a compra de um produto? Essas perguntas são respondidas pelas métricas.

Elas são medições feitas a partir de cliques e visualizações, que dizem muito sobre a qualidade do conteúdo e seu ranqueamento em sites de busca.

Primeiramente, precisa-se definir os KPIs, em inglês Key Performance Indicators, ou em português indicadores-chave de performance. Eles indicam o sucesso da estratégia de uma forma geral.

Ao mesmo tempo, é necessário saber o que é um KPI e o que não é. É muito comum a confusão entre objetivos e KPIs, já que um é a forma de medir o sucesso do outro.

Aumentar a satisfação do cliente, por exemplo, é um objetivo, mas não pode ser considerado um indicador. Agora, se você fizer uma pesquisa de satisfação com notas, essas notas podem ser um indicador poderoso que mostra o quão perto você está do seu objetivo.

Existem as métricas operacionais, aquelas que acompanhamos no nosso dia-a-dia e que determinam a eficiência da equipe de marketing. Elas podem ser:

  • Métricas de consumo: Visitantes únicos, visualizações de páginas, taxa de abertura de e-mails;
  • Métricas de engajamento: Quantidade de comentários no blog, curtidas ou interações rápidas em redes sociais;
  • Métricas de conversão: Leads, taxa de conversão de mídia paga; e
  • Métricas comerciais: Total de receita gerada, valor médio pago por cliente (ticket médio).

O que outros autores dizem a respeito?

No livro "Como Manipular & Persuadir Milhares de Pessoas", o autor Ricardo Ventura dá algumas dicas de gatilhos mentais que podem ser usados na persuasão, como por exemplo:

  • Autoridade;
  • Urgência;
  • Inimigo Comum;
  • Escassez;
  • Relação Dor x Prazer;
  • Simplicidade; e
  • Paradoxo da Escolha.

No livro "Marketing 4. 0", de Philip Kotler, Hermawan Kartajaya e Iwan Setiawan, os autores trazem a importância de estarmos sempre atentos às mudanças no mundo digital e como elas afetam o marketing.

Jay Conrad Levinson, na sua obra, "Marketing de Guerrilha", apresenta uma forma de gerar mais impacto no marketing com custos menores. Para isso, ele sugere os meios digitais como essenciais na divulgação da marca e do produto, utilizando ferramentas como e-mail marketing, por exemplo.

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

Como foi falado em todas as overviews, o marketing de conteúdo possui muitas nuances e muitas formas de ser aplicado. E agora é a sua vez de pegar essas informações e transformá-las em conhecimento.

Espero que, com isso, nós consigamos estar do outro lado da tela, lendo um excelente texto seu em breve.

Gostou desse resumo do livro "Obrigado pelo Marketing"?

O que você achou deste resumo? Deixe um feedback para que possamos sempre melhorar nosso conteúdo!

Caso você tenha se interessado pelo assunto e tenha desejo de conhecer melhor o conteúdo na íntegra, basta clicar na imagem abaixo!

Livro Obrigado Pelo Marketing

Adicionar aos favoritos
Ler mais tarde
Marcar como lido
Create Account
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!