Smart Collaboration - Heidi K. Gardner

Smart Collaboration - Heidi K. Gardner

Saiba por que um líder deve adotar a colaboração inteligente e aprenda a como fazer isso de forma eficiente, conquistando melhores resultados e a lealdade dos clientes. 

Os problemas que os clientes enfrentam têm ficado cada vez mais complexos. Tais problemas demandam processos que nem sempre uma pessoa consegue lidar individualmente.

Então eu te pergunto: por que resolver sozinho se um trabalho em equipe pode ser muito mais eficiente?

Expanda seus horizontes com a Colaboração Inteligente. Esse resumo do livro "Smart Collaboration" tem o intuito de te ajudar a inovar as ideias do seu negócio e valorizar o potencial individual de cada pessoa, além de garantir a confiança e lealdade do cliente e de seus funcionários.

Tá interessado em saber mais? Então vamos lá!

Sobre o livro "Smart Collaboration"

"Smart Collaboration" é uma obra escrita por Heidi K. Gardner com intenção de mostrar como profissionais podem alavancar o sucesso de seus negócios.

Lançado em 2017 pela Harvard Business Review Press, "Smart Collaboration" conta com 8 capítulos e foi considerado best-seller pela Washington Post.

Sobre a autora Heidi K. Gardner

Heidi K. Gardner, PhD, já viveu e trabalhou em quatro continentes, obtendo experiência por grandes nomes como McKinsey & Co. e Fullbright Scholar.

Além disso, já atuou como professora na Harvard Business School e Harvard Law School Executive Education.

Suas obras publicadas somam mais de 60 capítulos e artigos em jornais.

Atualmente ela é parceira da Harvard Law School's Center e possui uma cadeira no programa de liderança Accelerated Leadership Program.

Esse livro é indicado para quem?

O conteúdo do livro é ideal para diretores executivos, empresários e especialistas em negócios.

Além disso, é indicado também para toda pessoa interessada na área colaborativa ou para você que deseja se tornar um grande líder.

Ideias principais do livro "Smart Collaboration"

Os principais pontos do livro, resumidos em algumas frases, são estes:

  • Explicar os valores e estratégia de uma colaboração inteligente;
  • Como atrair e lidar com os millennials no ambiente de trabalho;
  • Por que você não deveria ser um especialista solo;
  • Como um líder poderia implementar a colaboração inteligente no seu negócio;
  • Como um cliente enxerga e espera o que uma firma possa lhe fornecer.

Faça o Download do Resumo do Livro "Smart Collaboration" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] Smart Collaboration - Heidi K. Gardner,PDF

O início da colaboração

Uma colaboração inteligente se refere mais aos meios de um propósito do que ao propósito em si. Ela evidencia a capacidade individual de cada membro e a sua habilidade de entregar um produto de qualidade.

Além disso, analisa como estes membros podem atuar em grupo para entregar um projeto inovador, lidando com problemas densos e complexos.

O líder da empresa tem o compromisso de apresentar os benefícios de uma colaboração de forma específica e concreta. Logo, terá resultados mais consistentes e sucesso profissional de cada indivíduo de seu time.

O caso de negócio de uma colaboração

Neste capítulo, Heidi K. Gardner foca no que os líderes de empresas pensam sobre os desafios de suas firmas: melhorar o processo de sua firma e, como consequência, gerar melhores resultados.

Ela introduz os quatro principais resultados de uma colaboração inteligente:

1 - Receitas e lucros

Colaboração está associada a melhores resultados do ponto de vista financeiro para as empresas. Colaborar gera um retorno de lucro maior para os antigos e novos provedores de serviço, além de visar a melhoria de serviço ao cliente.

2 - Lealdade e retenção do cliente

Melhorando a qualidade do serviço através da colaboração, Heidi K. Gardner evidencia um resultado a longo prazo: a confiabilidade do cliente ao seu serviço.

Quanto mais sócios servem um cliente, mais tempo o cliente se manterá leal à empresa, fortalecendo a relação corporação-cliente.

3 - Inovação

A colaboração provoca melhores resultados para o cliente, garantindo benefícios a longo prazo para os mesmos. A inovação acontece mais quando os especialistas trabalham em equipe.

Heidi diz que nem todo problema precisa de uma nova solução; mas a maioria das soluções podem ser adaptadas a um problema específico do cliente.

4 - Transparência e gerenciamento de riscos

A prática da colaboração fornece uma melhor supervisão a seus colegas de trabalho, dessa forma reduzem-se os riscos de má conduta e individualidade.

Gardner, por fim, afirma que os benefícios fluem somente se os clientes estiverem encantados pelos valores que a equipe proporcionar.

O caso da pessoa de uma colaboração

De acordo com o livro "Smart Collaboration", colaboração não somente faz com que as pessoas se sintam à vontade, mas também é uma "profecia autorrealizável", pois:

  • As pessoas se sentem no lugar certo;
  • O trabalho duro se torna mais eficiente e eficaz;
  • A empresa se torna mais bem-sucedida.

Conquistando os milênios

Para a geração dos milênios, uma colaboração pode ser enxergada como uma oportunidade de empoderamento. Eles esperam estar envolvidos em todos os aspectos da empresa e se motivam a enfrentar desafios, além de valorizar e buscar um equilíbrio pessoal-profissional.

Mas como um líder pode melhorar a performance de um Millennial dentro de sua empresa? Atente-se as dicas da autora, são elas:

  • Feedbacks mais claros, objetivos e específicos: os millennials possuem um senso crítico de saberem o que estão fazendo. Então direcioná-los a onde está o ponto de melhoria torna seu trabalho mais produtivo;
  • Desenvolvendo uma cultura de feedbacks informais: líderes, sócios e membros de equipe devem se sentir empoderados e obrigados a dar comentários quando necessário, para evitar que alguém repita os erros sem saber;
  • Focando na flexibilidade: os millennials querem mais controle sobre seus horários de trabalho, criando jornadas que explorem mais sua produtividade.

Criando aliados leais

Alguns dos fatores essenciais de uma colaboração que ajudam a manter uma perspectiva de lealdade são:

  • Expectativas: deixe claro no momento de recrutamento que a maioria não chega ao patamar de parceiro;
  • Feedback: é importante manter as pessoas informadas sobre seus progressos de forma honesta;
  • Comunicação: a comunicação é essencial para uma boa relação interpessoal e ela deve ser expressa de forma positiva, porém, realista;
  • Dê tempo ao tempo: deixar que a pessoa saia da empresa sob boas condições e dar tempo para que ela encontre uma nova oportunidade é um importante aspecto.

Colaboradores

O especialista solo

"Smart Collaboration" deixa claro que, se você for um especialista solo, a intenção é fazer você mudar de ideia.

Heidi K. Gardner diz que os especialistas solos que (sistematicamente) levam seus parceiros ao seu campo de trabalho tendem a ter um crescimento significativo no próximo ano.

Tal ação reduz, por exemplo, a quantidade de trabalho acumulado. E também aumenta as possibilidades de inovação sobre uma certa ideia.

Com isso, a autora traz estratégias de como ajudar tais profissionais a alçarem mais benefícios, derrubando barreiras que os impedem de trabalhar proativamente em equipe:

  1. Construa uma confiança de competência: procure saber das habilidades de outras pessoas; faça conexões com parceiros que possam servir às necessidades de seu cliente; crie uma equipe que tenha a experiência que você pode contar;
  2. Alimente a confiança interpessoal: se você agir com integridade e procurar trabalhar com pessoas que se assemelham aos seus padrões, estará mais propenso a atrair mais parceiros de confiança;
  3. Se aprofunde nos problemas mais amplos do cliente: procure não focar somente nos problemas técnicos do cliente, mas também desenvolva um interesse genuíno no "conjunto da obra";
  4. Aprenda sobre as ofertas da sua própria empresa: tome conhecimento das diferentes áreas e fique atento às mudanças da sua firma;
  5. Crie um processo de colaboração mais eficiente: selecione os recursos adequados ao seu time; alinhe o seu projeto às suas expectativas; desenvolva um propósito para a equipe; assegure-se de que os membros da sua equipe estejam informados e preparados;
  6. Lide com as políticas da colaboração: colaboradores precisam estar de acordo em como alocar responsabilidades e resolver possíveis conflitos.

O colaborador experiente (rainmaker)

Estes colaboradores entendem que o trabalho em equipe é o jeito mais certo para construir um portfólio denso.

Logo, as principais características que podemos identificar em um colaborador experiente são:

  • Senso intelectual apurado para trabalhos mais complexos;
  • Disciplina;
  • Poder: tem sabedoria para aconselhar o CEO quando este estiver em crise;
  • Espírito jovem.

Um rainmaker compartilha suas opiniões e experiências. E sem dúvidas é um ótimo negócio para garantir um trabalho de sucesso com um número maior de colegas de time.

O contribuidor

O contribuidor foca nos pontos positivos, negativos e na forma que um membro opera dentro do time. Enquanto um colaborador experiente envia trabalho, o contribuidor recebe trabalho.

Por este aspecto, alguns dos contribuidores tendem a manter a cabeça baixa e destrinchar o trabalho dentro das suas práticas. Mas quando entregam o seu melhor, seu preço é inestimável.

Um contribuidor pode traçar estratégias efetivas de redução de custos, aumento de benefícios, e reduzir o tempo de retorno de investimento para a colaboração.

Para isso, Heidi exemplifica dois tipos de estratégias que este tipo de colaborador pode adotar:

  • Cultivar relações com parceiros apropriados: selecionar clientes específicos e seus parceiros é primordial para obter uma vantagem de informações. Dessa forma, você pode iniciar uma relação de maneira mais sólida, e se tornar um membro exemplar;
  • Desenvolver suas habilidades para problemas mais rígidos: se motive a aprender sobre os princípios dos negócios, assim você estará mais preparado para manter uma conversa com o cliente.

Ringmasters

Você consegue imaginar aquela pessoa que reúne todas as "tribos" e faz tudo acontecer? Que não tem medo de arriscar e experimentar novas oportunidades? Este é o comportamento do grandioso ringmaster.

O ringmaster é aquela pessoa que comanda o show: ele reúne todas as pessoas da empresa e direciona-os para um mesmo objetivo. Para isso, a autora diz como você pode melhorar a performance do seu time:

Medição

Se baseia na medição de um certo grupo da empresa a fim de alinhar os membros para uma mesma direção. Gardner diz que é preciso estabelecer uma estratégia geral da firma e deixar que cada indivíduo estabeleça o seu próprio objetivo.

Daí, meça o comportamento colaborativo de cada um e evite ser inflexível. Dessa forma, você poderá ter resultados consistentes à cultura colaborativa.

Além disso, leve o objetivo da companhia para o trabalho do funcionário, mostre que o trabalho dele tem importância e aplicabilidade ao propósito real da empresa.

Por fim, use e desfrute das facilidades da tecnologia para organizar os objetivos e ajudar a manter todos alinhados.

Compensação

Um mau exemplo de compensação faz com que as pessoas acumulem trabalho e estimula a competição entre os membros. Além do mais, Heidi afirma que mudar este sistema não é um trabalho fácil.

E é fato que dar valor ao trabalho de seu funcionário é um bom jeito para garantir uma boa performance na equipe. Você pode engajar o seu funcionário, adotando um sistema meritocrático, por exemplo.

Mas saiba que o processo de mudança não é um processo simples, e deve ser aplicado à empresa de forma lenta (1 ano, por exemplo), com os gastos devidamente planejados.

Essas recompensas fazem o trabalho valer mais a pena do que um salário: mantenha a sua equipe satisfeita.

Os Clientes

Já estamos carecas de saber como uma colaboração pode funcionar dentro da empresa. Mas e do ponto de vista do cliente?

No último capítulo do livro, Heidi K. Gardner explica que, no geral, os clientes dão muita importância para uma colaboração de qualidade. Além disso, valorizam profundamente a proximidade que um conselheiro externo tem com a empresa e o produto.

Mas não ache que fingir que sabe de tudo vai convencer os clientes a adquirirem o seu produto: eles não gostam desse pretexto. Você deve se conectar à realidade deles, assim como trazê-los à sua.

No entanto, nem sempre eles conseguem enxergar os benefícios de uma colaboração, e adivinhe só: é seu trabalho fazê-los entender.

Há uma série de vantagens que uma colaboração pode oferecer. Em sua obra "Smart Collaboration", Heidi explica cada um dos seguintes benefícios:

  • Fornece ao cliente o acesso aos melhores experts para resolver os mais difíceis problemas;
  • Fornece ao cliente um entendimento mais condensado de seus próprios negócios;
  • Gera um alcance global;
  • Estimula a inovação e a responsabilidade;
  • Gera consistência, melhores resultados e atenua os riscos;
  • Amplia sua capacidade colaborativa e eficiência;
  • Promove a simplicidade;
  • Fortalece sua marca.

Se sua empresa for igual a qualquer outra, então você tem um ambiente formado por grandes profissionais, criativos e inteligentes.

Se você adota a colaboração inteligente, então você tem um time formado por grandes profissionais alinhados a fim de expandir seus horizontes, inovar, trabalhar em equipe e conquistar a lealdade do cliente.

O que outros autores dizem a respeito?

Jim Collins e Jerry Porras, autores do livro "Feitas para Durar", descobriram que a maioria das empresas visionárias não começaram com uma ideia revolucionária que as fez ter sucesso logo no início. Na verdade, elas tiveram um começo devagar e, com o tempo, conseguiram dominar seus mercados.

Já Brené Brown, na obra "A Coragem Para Liderar", diz que um líder deve assumir a responsabilidade de reconhecer o potencial de pessoas e suas ideias e encorajá-las a desenvolver esse potencial. Ele sabe que o verdadeiro poder é aquele compartilhado com todos.

Por último, John C. Maxwell, no "Livro de Ouro da Liderança", diz que os melhores líderes são aqueles que sabem ouvir. Ouvintes sabem o que está acontecendo porque estão atentos. Eles aprendem melhor que os outros porque absorvem informações de vários lugares.

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

Além de ser importante compreender os conceitos de colaboração inteligente, é essencial entender o que deve ser um líder.

Para aumentar a produtividade da empresa, o líder deve deixar suas expectativas bem definidas desde o momento da contratação, dar feedbacks honestos e objetivos a seus funcionários e manter uma comunicação interpessoal positiva e realista.

Um bom líder deve se preocupar em nutrir a confiança entre seu time e ele. Para isso, defina objetivos para que sua equipe alinhe ao propósito da empresa de forma concreta.

E não menos importante: o bom líder deve pensar como um cliente. Tal quesito resulta em melhores e mais variados tipos de serviço que atendam até aos problemas mais complexos do cliente.

Gostou desse resumo do livro "Smart Collaboration"?

Gostou de aprender sobre colaboração? Deixe seu feedback, sua opinião é muito importante para nós!

Aliás, você pode adquirir o livro completo clicando na imagem abaixo:

Livro Smart Collaboration

Adicionar aos favoritos
Ler mais tarde
Marcar como lido
Create Account
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!