O Caminho do Artista - Julia Cameron

O Caminho do Artista - Julia Cameron

O que define um Artista? Descubra o caminho que tornará você capaz de desenvolver sua criatividade a aplicá-la diariamente, em grandes palcos ou no seu escritório!

Você já ficou horas encarando o horizonte em busca de uma ideia enquanto mil coisas diferentes passavam pela sua cabeça, exceto o que você realmente precisava desenvolver? Então "O Caminho do Artista" foi feito para você!

Habilidade com pincéis, escrita cativante, fluidez em frente às câmeras... Artistas são agraciados com um grande dom que é a criatividade, enquanto nós, meros mortais, precisamos ficar à mercê de um longo e cansativo tempo para desenvolvermos nossas ideias, não é mesmo? Bem, na verdade, não!

Sabemos que a capacidade de fazer arte está diretamente relacionada à criatividade, certo? Por muito tempo ouvimos que a criatividade era vocação para poucos, e, neste livro, Julia Cameron irá nos mostrar que, na realidade, tudo é questão de prática.

A criatividade pode ser aplicada em diversos meios profissionais e pessoais que nada estão relacionados à concepção tradicional de arte. E é justamente sobre isso que falaremos neste resumo. Você vai continuar com a gente, né?

O livro "O Caminho do Artista"

O livro "O Caminho do Artista", publicado no Brasil em 2017, possuiu, na realidade, muitas versões anteriores que a própria autora, Julia Cameron, enviava para seus alunos por correspondência.

Com 272 páginas e capítulos divididos entre as 12 semanas que a autora chama de "trilha espiral", o livro, originalmente chamado de "The Artist's Way", já foi traduzido para 20 idiomas.

Depois de 29 anos da sua publicação inicial, a obra ainda é usada em hospitais, presídios, universidades, centros de desenvolvimento humano e por muitas outras pessoas. Sua grande promessa é recuperar o poder de criatividade das pessoas, sejam elas escritoras, cozinheiras, administradoras ou grandes líderes.

Quem é Julia Cameron?

Julia Cameron pode ser considerada a personificação da criatividade: é roteirista de filmes e séries, autora de poesias, musicais, livros de ficção e 34 livros não ficcionais - em sua grande maioria falando sobre o desenvolvimento criativo.

Já escreveu para grandes plataformas de comunicação como The Washington Post e Rolling Stone, e construiu sua credibilidade por meio de milhares de cases de sucesso influenciadas pelo seu método de ensino.

Atualmente se dedica a transmitir seu aprendizado sobre desbloqueio criativo para diferentes grupos de pessoas ao redor de todo o mundo.

Por que ler "O Caminho do Artista"?

"O Caminho do Artista" é indicado para pessoas que possuem um bloqueio criativo ou acreditam que criatividade é um dom de um seleto grupo de pessoas.

Esse resumo é indispensável para quem deseja iniciar um processo de autoconhecimento e desenvolvimento interior, que, consequentemente, transformará a perspectiva com que vemos as coisas, nos tornando mais criativos e aprendendo a perceber as coisas boas até mesmo nos detalhes.

O que posso aprender com esse livro?

  • Apesar de não ser um processo rápido ou simples, o desenvolvimento ou descoberta da criatividade pode ser aprendido e mensurado;
  • Seu artista interior é uma criança, precisa ser cuidado e tratado como uma;
  • Geralmente resistimos ao que mais precisamos fazer;
  • Praticar a sua arte de maneira singular é mais simples do que a frustração de não praticá-la;
  • Você se desenvolve mais facilmente no momento em que se cerca de pessoas com os mesmos propósitos que os seus;
  • Colocar-se em primeiro lugar não é egoísmo, é autocuidado.

Faça o Download do Resumo do Livro "O Caminho do Artista" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] O Caminho do Artista - Julia Cameron, PDF

Todos nós podemos ser criativos?

Você concorda que, mesmo num mundo com bilhões de pessoas, todos os indivíduos são singulares e complexos? Mas, você sabia que, apesar de todas essas infinitas características únicas, nós temos algo em comum? Todos nós podemos ser criativos.

Apesar de muitas vezes não nos darmos conta, a criatividade de cada pessoa pode ser vista na maneira com que se vestem, em como decoram suas casas, arrumam seu cabelo, também está nos filmes que assistimos, músicas que escutamos e até mesmo em como fazemos nosso trabalho. Tudo isso é uma expressão direta ou indireta da criatividade.

Segundo Julia Cameron, a criatividade pode ser ensinada, aprendida e medida.

Isso significa que nunca é tarde para desenvolver a criatividade que já temos ou despertar aquela que pensamos nem existir.

O que um artista tem em comum com uma criança?

Em "O Caminho do Artista", Julia Cameron compara o nosso artista interior com uma criança. Mas, preste atenção: isso não quer dizer que pessoas criativas sejam infantis!

Julia deixa muito claro que a percepção que temos sobre o que é realmente ser um artista está diretamente relacionada à maneira com que nos sentimos inclinados a trabalhar para seguir nossa arte.

A autora faz essa comparação pois, assim como as crianças, nosso artista interior precisa de atenção e cuidado para que ele se desenvolva tendo todas as suas necessidades atendidas; precisa de paciência para crescer aos poucos e sem pressão; também precisa de proteção para expandir em um ambiente confiável.

Como extrair coisas boas de sentimentos ruins?

"O Caminho do Artista" é, acima de tudo, um caminho para o autoconhecimento. Sendo assim, reconhecer os nossos sentimentos e aprender a interpretá-los também fará parte dessa jornada.

Sabemos que nossos sentimentos são a expressão mais verdadeira daquilo que estamos vivendo, mas, muitas vezes, não entendemos ou não refletimos por qual motivo sentimos certas coisas em determinados momentos, não é?

Raiva, medo, vergonha ou inveja, nada disso pode nos trazer algo de bom, certo? Mas, e se parássemos para analisar de onde vem tais sentimentos e por que eles são causados, talvez pudéssemos controlá-los, ou até mesmo superá-los!

Raiva e Inveja

Julia Cameron afirma em seu livro que sentimentos como raiva e inveja são respostas da nossa mente àquilo que nos incomoda. Coisas que não são importantes para nós não nos despertaria um sentimento de revolta.

Muitas vezes, invejamos pessoas que possuem a coragem de fazer aquilo que nós mesmos gostaríamos de estar fazendo. Assim como a raiva que sentimos ao vermos que poderíamos fazer algo melhor do que quem realmente se destaca por essa atividade.

Sendo assim, a autora frisa a importância de utilizar tais sentimentos como um convite para a ação... "Se isso me incomoda, por que eu não resolvo?", "Se eu gostaria de fazer igual, por que não começo tentando?".

A rejeição para essas ideias está justamente em outros vilões: o medo e a vergonha.

Medo e Vergonha

Em "O Caminho do Artista" entendemos que, para pessoas criativas, o medo é caracterizado, na grande maioria das vezes, pela preocupação com o desconhecido.

E é por isso que, muitas vezes, grandes artistas deixam de seguir seu sonho, já que as possibilidades no sucesso são desconhecidas, enquanto o fracasso já está presente e pode ser considerado um lugar seguro.

Além disso, fracasso e vergonha andam de mãos dadas: quem nunca deixou de tentar, apenas pelo receio de fracassar e sentir o sentimento horrível da vergonha?

Aprender a ignorar a vergonha abre um novo mundo de possibilidades: quando você deixa de se preocupar com a opinião alheia ou com a possibilidade do fracasso, você foca no processo e não no resultado.

Você acha que Michael Jordan acertou a primeira cesta? Ou que o primeiro discurso de Nelson Mandela foi maravilhoso? Você precisa estar disposto a errar para, um dia, acertar!

O que pode mudar em 12 semanas?

Neste livro, Julia Cameron passa instruções detalhadas que devem ser seguidas pelo leitor com a criatividade bloqueada. Nele, você encontra listas de perguntas, reflexões e diferentes atividades que devem ser desenvolvidas somente entre você e o seu artista interior.

Segundo a autora, só é possível desenvolver a mais genuína mente criativa quando estamos conectados com nós mesmos. É por isso que as principais atividades que devem ser desenvolvidas nessas 12 semanas são as páginas matinais e o encontro com o artista.

O que são as páginas matinais?

As páginas matinais são três páginas que devem ser escritas à mão por você, logo de manhã e todos os dias. Nelas, você deve escrever todos os pensamentos que lhe surgirem: "eu preciso botar a roupa para lavar", "acho que o cachorro precisa cortar a unha", "talvez eu mereça uma cadeira mais confortável"...

"Mas e se eu não souber o que escrever?" Então escreva três folhas sobre isso! A lógica das páginas matinais é fazer com que você despeje todos os pensamentos desnecessários para que, no momento do seu trabalho, a sua mente esteja limpa e você consiga estar focado.

Além disso, as páginas serão um pontapé inicial para uma maior reflexão sobre os caminhos da sua vida. Como é possível reclamar todos os dias sobre a mesma coisa e não tomar uma atitude? Como é possível comemorar sempre uma conquista e não ser mais grato?

Quem é o artista e por que você tem um encontro com ele?

O artista é você! E você terá um encontro com ele por que isso proporcionará uma maior conexão consigo mesmo. Em "O Caminho do Artista", Julia Cameron afirma que é impossível se conectar com outras coisas ou pessoas sem antes nos conectarmos com nós mesmos.

E é por isso que você deve ter um encontro com o artista todas as semanas.

Esse encontro deve ser qualquer atividade que você ache interessante, sozinho. Você pode passear no parque, cozinhar algo novo, visitar uma loja de discos... O encontro com o artista deve proporcionar a oportunidade de aproveitar a sua própria companhia, aprender sobre seus gostos e desenvolver sua curiosidade.

Cérebro Lógico e Cérebro Artista, qual você tem?

Se você prestou atenção ao resumo até agora, deve ter entendido a ideia principal deste livro. Então vou lhe dar a chance de responder a essa pergunta! 1... 2... 3...

A resposta é que temos os dois! Uma pessoa criativa consegue absorver e controlar as principais características de cada um.

Cérebro Lógico

O cérebro lógico é a parte da nossa mente responsável pela nossa sobrevivência. O seu funcionamento é baseado no princípio do conhecimento. O cérebro lógico busca a segurança no que já sabemos, o desconhecido é identificado como perigoso ou errado.

Quem é o Censor e por que ele odeia você?

O Censor é um fruto do nosso cérebro lógico. Ele é quem nos faz hesitar e duvidar da nossa própria capacidade.

Você conhece aquela voz que fica na sua cabeça lhe dizendo "este trabalho está péssimo", "você deveria desistir", "nada está dando certo", "se eu fosse você, teria vergonha"? Bem, eu lhe apresento o seu censor.

Muitas vezes, não conseguimos ignorar essa voz e deixamos que ela nos influencie. "O Caminho do Artista" ensina que aprender a compreender e controlar nossos sentimentos é muito melhor do que ignorá-los.

É por isso que você escreve as páginas matinais! Você aprende a ignorar o que o censor diz enquanto escreve nelas, você pode até mesmo escrever o que o censor lhe fala como uma maneira de repelir esses pensamentos.

O mais importante sobre o censor é ter a consciência de que as crenças que ele possui, são exatamente isso: apenas crenças, e que crenças são diferentes de fatos.

Cérebro Artista

O Cérebro Artista é a nossa parte inventora, observadora e criativa. É ele o responsável por observar algumas coisas e nos dizer "Isso parece interessante, por que não tenta?".

O poder das afirmações positivas

Você já se deu conta de quantos pensamentos autodestrutivos você tem durante um dia? E quanto aos pensamentos positivos?

Normalmente, por causa do nosso censor, temos a tendência de pensar de uma maneira negativa e pessimista. Julia Cameron menciona a importância de utilizar afirmações positivas no lugar dos pensamentos do nosso censor.

Que tal trocar um "isso está péssimo" por um "está muito melhor do que quando eu comecei", por exemplo?

Você é autodestrutivo?

Para a autora, a autodestruição é a destruição da sua própria natureza. É importante sermos bons filhos, maridos, esposas, profissionais ou qualquer outra coisa, mas até que ponto devemos ser bons para outras pessoas antes de sermos bons para nós mesmos?

Uma pessoa destrói a sua natureza quando deixa de fazer o que gosta, quando não demonstra suas vontades ou quando desiste de um sonho, somente para agradar outras pessoas, não magoar outras pessoas, ou "respeitar" outras pessoas.

"O Caminho do Artista" nos leva a refletir sobre as coisas que abdicamos pelos outros e sobre a maneira com que deixamos que nos influenciem. Claro que devemos levar em consideração pessoas que nos são importantes, mas, devemos sempre lembrar que a pessoa mais importante para nós, somos nós mesmos.

Como lidar com pessoas tóxicas?

Parte da nossa autodestruição está em mantermos por perto pessoas tóxicas. Pessoas que não apoiam e respeitam nossos objetivos e pessoas que apenas destacam nossas falhas ao invés de reconhecerem nossas conquistas não devem fazer parte da nossa vida.

Julia Cameron nos convida a refletir sobre o que é essencial e qual o motivo de mantermos por perto pessoas que não nos fazem bem. Uma coisa é certa: é muito mais importante que você se cerque de pessoas com objetivos e sonhos em comum.

Como filtrar as críticas?

Outra parte da autodestruição é não saber lidar com críticas. Você se lembra da última crítica que recebeu? E o último elogio? Tendemos a receber críticas de uma forma mais intensa do que elogios, muitas vezes nos questionando se realmente somos merecedores de tal exaltação... Você se lembra do censor?

É claro que o feedback é essencial! Por meio dele você pode sempre melhorar o seu trabalho. O ponto é: você deve se questionar sobre cada crítica e a sua validade, para que não acabe absorvendo somente as partes ruins dela.

Sendo assim, você pode filtrar as críticas considerando a pessoa que a fez, a maneira com que falou, e principalmente se ela pode lhe ajudar a melhorar ou foi apenas um comentário maldoso. A sacada principal é: você pode escolher o que fazer com ela. É possível ignorá-la ou abraçar-se a ela, tudo depende do contexto.

O que é a Trilha Espiral?

Como vimos anteriormente, a autora de "O Caminho do Artista" chama essa jornada de descobrimento e desenvolvimento de uma trilha espiral.

Imagine-se fazendo uma caminhada ao redor de uma montanha, o seu objetivo é chegar ao topo. Você dá voltas e voltas e observa as mesmas paisagens de diferentes pontos de vista. Muitas vezes, você observará a mesma paisagem e não conseguirá ver diferença alguma entre as imagens da sua volta atual e anterior.

O que isso quer dizer? Julia Cameron utiliza essa metáfora para discutir sobre pequenas evoluções e que, por mais que elas aconteçam, muitas vezes não nos damos conta, o que nos faz duvidar da nossa capacidade ou do nosso propósito.

E o que aprendemos com isso? Continue subindo a montanha! Não percebermos a evolução imediata não significa que ela não exista, é tudo questão de perspectiva.

Outros livros sobre criatividade

Em "The Creativity Leap", descobrimos que, assim como um músculo, a nossa criatividade é desenvolvida se a exercitarmos por meio de atividades simples, como a indagação, improvisação e intuição. Imagine se você for capaz de desenvolver as atividades de Natalie e Julia ao mesmo tempo? O céu será o limite.

Com o resumo do livro "As Coisas que Você Só Vê Quando Desacelera" é possível saber mais sobre a importância da busca pelo autoconhecimento, e como compreender seus sentimentos gera grande mudança sobre a maneira com que levamos a vida e lidamos com diversas situações.

Por último, mas não menos importante, temos Brené Brown com o seu livro "A Coragem de Ser Imperfeito", em que entendemos como sentimentos de vergonha e perfeccionismo são obstáculos para nosso desenvolvimento e estão diretamente ligados ao sentimento de medo.

Como posso ser uma pessoa mais criativa?

  • Separe diariamente um tempo apenas para você: nele você deve escrever as suas páginas matinais e fazer alguma coisa que goste, mesmo que por apenas 5 minutos;
  • Tenha semanalmente o seu encontro com o artista: faça passeios, assista à filmes, vá à lugares diferentes, etc, sempre sozinho;
  • Observe as coisas com um olhar curioso: perceba oportunidades nos detalhes;
  • Pratique o autocuidado: estabeleça limites entre as coisas que você pode fazer pelas pessoas e aquilo que lhe beneficia.

Avalie esse resumo do livro "O Caminho do Artista"

Agora que você já entendeu tudo direitinho, é hora de botar em prática, combinado?

Que tal você começar agora mesmo? Deixe seu comentário sobre o que achou do resumo e aproveite para compartilhar alguns pensamentos do seu artista interior aqui mesmo!

E, se quiser ter acesso à obra completa, você pode conferir clicando na imagem abaixo:

Livro O Caminho do Arista - Julia Cameron

Adicionar aos favoritos
Ler mais tarde
Marcar como lido
Create Account
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!