As Cartas de Bezos - Steve Anderson, Karen Anderson

Já pensou ter Jeff Bezos como seu mentor de negócios? Descubra neste resumo quais princípios transformaram a Amazon em uma das empresas mais bem-sucedidas do mundo!

Favoritar
Salvar
Lido

Você sabia que a Amazon começou com apenas cinco funcionários que eram responsáveis pela parte técnica do site? Pois é! No começo, a empresa contava com poucos funcionários que nem mesa para trabalhar tinham.

Mas o que Jeff Bezos fez para que sua empresa crescesse tanto? Bem, Steve Anderson e Karen Anderson contam em seu livro, "As Cartas de Bezos", que o grande fundador da Amazon seguiu alguns princípios que serviram como uma fórmula para manter constante o crescimento da empresa.

Talvez você não esteja acreditando que Jeff Bezos tenha adotado uma fórmula que tornou a Amazon uma das maiores empresas do mundo.

E se te contarmos que nas cartas de Bezos para seus acionistas podemos encontrar diversos ensinamentos capazes de fazer uma empresa crescer?

As cartas deste grande empresário têm o potencial de ajudar negócios do mundo inteiro a alcançarem um novo patamar.

Ficou curioso sobre os ensinamentos extraídos das cartas de Jeff Bezos? Então, continue lendo este resumo e entenda não só a lógica por trás das cartas, como também aprenda a aplicá-la em qualquer negócio ou organização!

Sobre o livro "As Cartas de Bezos"

A partir de seus estudos das cartas de Jeff Bezos para seus acionistas, Steve Anderson e Karen Anderson conseguiram extrair 14 princípios aplicados pelo fundador da Amazon que podem ajudar qualquer empresa a crescer.

Em apenas 289 páginas, os autores apresentaram não só os princípios, como também curiosidades sobre a Amazon e algumas das cartas que foram enviadas por Bezos aos seus acionistas.

Sobre os autores Steve Anderson e Karen Anderson

Steve Anderson, um dos autores da obra, é CEO e cofundador da empresa Catalyit.

O autor, especialista em Risco, possui mais de 35 anos de experiência ajudando seguradoras a integrar e alavancar tecnologias. Também trabalha com análise de gestão de negócios e mídias sociais.

Karen Anderson é uma autora best-seller do Wall Street Journal e do USA Today. Desempenhou várias funções no mercado de livros, tais como autora, editora e especialista em marketing direto.

Esse livro é indicado para quem?

Essa obra é indicada para CEO s e novos empreendedores que visam o crescimento de suas empresas, através da implementação de ideias inovadoras.

Michael Hyatt, CEO da Michael Hyatt & Company, afirma que ler o livro "As Cartas de Bezos" é como ter o próprio Jeff Bezos como seu mentor nos negócios.

Ideias principais do livro "As Cartas de Bezos"

A partir da leitura deste livro você aprenderá a importância de:

  • Incentivar o "fracasso bem-sucedido";
  • Apostar em grandes ideias;
  • Praticar invenção e inovação dinâmicas;
  • Ter obsessão pelo cliente;
  • Aplicar um pensamento de longo prazo;
  • Compreender seu flywheel;
  • Agilizar a tomada de decisões;
  • Simplificar o que é complexo;
  • Acelerar o tempo por meio da tecnologia;
  • Promover a atitude de dono;
  • Manter uma cultura própria;
  • Focar em padrões de excelência;
  • Medir o que importa e confiar na intuição;
  • Acreditar que é sempre o "Dia 1".

Faça o Download do Resumo do Livro "A Startup Enxuta" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] As Cartas de Bezos - Steve Anderson , PDF

Por quê as cartas de Bezos?

Os autores explicam que os princípios apresentados nesta obra não foram declarados pelo próprio Jeff Bezos ou pela Amazon.

Porém, para explicitar os princípios encontrados nas cartas, Steve Anderson e Karen Anderson estudaram as cartas escritas por Bezos para seus acionistas.

A ideia dos autores é fazer com que outras empresas e organizações possam crescer a partir da aplicação dos 14 princípios que foram identificados nas cartas.

Eles afirmam que foram encontrados Ciclos de Crescimento que se repetem e que são aplicados em praticamente todas as iniciativas de Jeff Bezos.

Os Ciclos de Crescimento são: testar, construir, acelerar e escalar. Os 14 princípios identificados se encaixam nessas quatro modalidades.

Ciclo de Crescimento: Testar

Nada novo pode ser alcançado se não houver testes. Logo, todos os funcionários da Amazon são incentivados a testar novas ideias para melhorar o funcionamento da empresa.

Mas, será que os funcionários se sentem realmente encorajados a testar? E se eles falharem?

Bem, se um teste não der certo, ninguém é punido por isso. Na verdade, os funcionários são incentivados a examinar o que não funcionou para aprender com o que deu errado.

Conforme explicado no livro "As Cartas de Bezos", o ciclo de testes comporta três princípios para que seja eficiente, e a seguir veremos como cada um funciona.

Princípio 1: Incentivar o "fracasso bem sucedido"

Não tem como inovar sem arriscar, e Jeff Bezos percebeu isso desde cedo. Na verdade, poucos sabem, mas o grande dono da Amazon já investiu em ideias que lhe causaram prejuízos de milhões de dólares.

Mas a questão é, para Bezos, quando assumimos um risco e fracassamos, temos a oportunidade de aprender com o erro e de aplicarmos o que aprendemos. Ou seja, transformamos o que deu errado em um "fracasso bem-sucedido".

Princípio 2: Apostar em grandes ideias

Você abriria espaço na sua empresa para que terceiros vendessem os mesmos produtos que você? Parece uma má ideia, certo?

Bem, Jeff Bezos fez isso quando permitiu que outros vendedores vendessem dentro da sua empresa. Resultado? Cada item vendido por terceiros dentro do site rendeu 15% do valor da venda para a empresa.

Mas vamos lá, ele não seria o empresário que é hoje se metesse os pés pelas mãos.

Os autores Steve Anderson e Karen Anderson explicam que, mesmo quando uma ideia possui muito potencial, Bezos começa apostando baixo, ele vai testando os limites e os resultados até que o investimento final seja realizado.

Princípio 3: Praticar invenção e inovação dinâmicas

Como o próprio Jeff Bezos afirmou em uma de suas cartas em 2015:

"Uma área em que nos destacamos muito é ao lidar com o fracasso. Acredito que sejamos o melhor lugar do mundo para falhar (temos muita prática!), pois fracasso e invenção são gêmeos inseparáveis. Para inventar, é preciso experimentar, e se você sabe de antemão que alguma coisa vai dar certo, isso não é mais um experimento."

Portanto, não crie departamentos de inovação. Incentive a experimentação em todos os níveis da empresa. Na Amazon, todos os funcionários são incentivados a fazer experimentações.

Dessa forma, todos os colaboradores devem pensar novas maneiras de executar suas tarefas e fazer experiências.

Para Jeff Bezos, invenção e inovação exigem experimentação, e experimentação pode implicar em fracasso, mas fracasso gera aprendizado e aprendizado pode resultar em uma ideia melhor.

Ciclo de Crescimento: Construir

Na Amazon é preciso transformar as melhores ideias em iniciativas. E a empresa costuma investir em ideias que sejam baseadas no que os clientes desejam.

Steve Anderson e Karen Anderson esclarecem em seu livro, "As Cartas de Bezos", que Jeff Bezos prega a necessidade de se ter um pensamento de longo prazo, pois toda iniciativa precisa ser construída com uma base sólida que possa perdurar por vários anos.

Na fase de construção, são aplicados três princípios que serão explicados abaixo.

Princípio 4: Ter obsessão pelo cliente

Talvez você empregue na sua empresa aquela famosa lei comercial: "o cliente tem sempre razão". Bem, Jeff Bezos leva isso a um novo patamar, ele prega a obsessão pelos clientes.

Para a Amazon, é necessário entrar na mente dos clientes a fim de saber o que eles querem.

Clientes que se sentem respeitados e bem atendidos voltam a comprar, e o melhor de tudo, trazem novos clientes. Logo, para uma empresa crescer, é essencial ter obsessão pelo cliente.

Princípio 5: Aplicar um pensamento de longo prazo

Qual a métrica mais importante na sua empresa? Para Jeff Bezos, os dados mais importantes estão relacionados ao aumento do número de clientes e da receita. E é por isso que a Amazon aplica um pensamento de longo prazo.

Ao investir no pensamento de longo prazo a empresa acaba por focar na experiência do cliente, fazendo com que a adesão à empresa aumente, mesmo que isso gere custos no curto prazo.

Você quer que sua empresa seja grande hoje ou prefere que ela seja grande durante um longo período de tempo?

Os autores Steve e Karen afirmam que o pensamento de longo prazo pode ser aplicado em empresas de qualquer tamanho e, para isso, é preciso apenas fazer pequenos ajustes.

Princípio 6: Compreender seu flywheel – ou círculo virtuoso

Você sabe o que é a premissa do flywheel? Segundo Jeff Haden:

"A premissa do flywheel é simples. Trata-se de uma roda extremamente pesada, que exige um enorme esforço para ser empurrada. Continue a empurrá-la que ela ganhará impulso. Continue a empurrá-la ainda mais e, em algum momento, a roda começará a contribuir para o próprio giro, gerando o próprio impulso – e é nesse ponto que boas empresas se tornam excepcionais."

E como isso seria aplicável a uma empresa? Bem, primeiramente a empresa precisa decidir qual direção ela deseja seguir.

Depois, quais atitudes contribuem para alcançar esse objetivo. Dessa forma, todas as atividades da empresa precisam ser como raios de um flywheel empurrando a empresa na mesma direção.

De acordo com o livro "As Cartas de Bezos", a ideia do flywheel ajuda as empresas a concentrarem tempo e esforço apenas nas atividades que impulsionam a empresa na direção desejada.

Ciclo de Crescimento: Acelerar

Se um produto ou ideia já passou pelo ciclo de teste e pelo de construção, então está na hora de acelerar. Acelerar significa potencializar o crescimento.

Bezos deixa claro em sua empresa que é impossível acelerar sem uma rápida tomada de decisões.

O foco em acelerar é uma das razões para que a Amazon tenha crescido tanto e de forma tão rápida.

Isto posto, vejamos a seguir quais os princípios potencializam o crescimento de uma empresa.

Princípio 7: Agilizar a tomada de decisões

Seus funcionários têm autorização para tomar decisões? Para Jeff Bezos, a tomada de decisões rápidas é essencial para que um negócio cresça, logo todos estão autorizados a tomarem decisões.

Isso pode parecer confuso, mas não é. Na Amazon as decisões são divididas em duas categorias.

Segundo os autores Steve Anderson e Karen Anderson, as decisões de tipo 1 são aquelas que precisam ser analisadas e que implicam grandes consequências. Já as decisões do tipo 2 são aquelas que podem ser mudadas ou revertidas sem que causem grandes prejuízos.

A estratégia de Bezos quanto à tomada de decisões começa por reconhecer que nem todas as decisões devem ser tratadas da mesma forma. Para tomar decisões de forma rápida e maximizar o retorno sobre o risco, o primeiro passo é estar ciente do tipo de decisão que se tem à frente.

Logo, todos na empresa são incentivados a tomar decisões do tipo 2. Dessa forma, os responsáveis por tomar as decisões do tipo 1 ficam livres para focar nas decisões mais importantes.

E não importa se uma decisão é do tipo 1 ou 2, o cliente é sempre o foco.

Princípio 8: Simplificar o que é complexo

Você já pensou como é difícil ter espaço para muitos livros físicos? Bem, Bezos pensou e criou o Kindle. Agora, quem possui um Kindle pode comprar diversos livros, lê-los e mantê-los na nuvem, sem ocupar espaço em casa e pagando mais barato.

E o Echo e a Alexa? Poder fazer pesquisas, colocar músicas para tocar, tudo sem precisar executar as funções manualmente.

Para a Amazon, as grandes ideias buscam sempre simplificar o que é complexo. Logo, busque sempre pensar como tornar a vida dos clientes mais fácil.

Princípio 9: Acelerar o tempo por meio da tecnologia

A Amazon não estaria onde está se não investisse em tecnologia. E é graças a esse investimento que a empresa cresce em uma velocidade impressionante.

As tecnologias crescem de forma inigualável, e quem não se prepara para usá-la a seu favor acaba se tornando obsoleto, dando assim espaço para a concorrência.

A tecnologia é capaz de acelerar o tempo, logo não há muito tempo para avaliar os riscos e, com o rápido avanço tecnológico, deixar de fazer alguma coisa é um risco maior do que fazer.

Princípio 10: Promover a atitude de dono

Todo dono possui cautela antes de tomar uma decisão. Por isso, Bezos incentiva que todos os seus funcionários ajam como se fossem donos da empresa.

No livro "As Cartas de Bezos", os autores revelam que incentivar a atitude de dono faz parte da cultura da Amazon, e para que todos os funcionários se sintam donos da empresa, algumas atitudes simples podem ser aplicadas.

Jeff Bezos, por exemplo, não usa o termo "acionistas", mas sim "donos de ações", para que os investidores se sintam parte integrante da organização. Os funcionários também recebem ações da empresa.

E tem mais, todos os funcionários possuem liberdade para tomar decisões do tipo 2 em nome da empresa, logo, isso gera um empoderamento e uma atitude de dono.

Donos cuidam de seus negócios, assim sendo, a atitude de dono é uma cultura que preserva a empresa a longo prazo.

Ciclo de Crescimento: Escalar

Escalar em português significa subir, e para a Amazon não é muito diferente. Escalar, para Bezos, significa crescer sem sacrificar quem você é.

Para escalar é necessário manter o foco nos padrões de excelência e não sacrificar a qualidade para obter um lucro maior. E para realizar isto, a empresa precisa ter não só uma cultura de inovação, mas também uma disposição a correr riscos para beneficiar o cliente.

Escalar é o último ciclo, e após ele é necessário começar mais uma vez o processo de testar novas ideias.

Então, que tal conferirmos os últimos princípios que foram encontrados nas cartas de Bezos?

Princípio 11: Manter uma cultura própria

A Amazon mantém a mesma cultura dos primórdios da empresa mesmo tendo hoje mais de 600 mil funcionários.

Quando perguntaram para Jeff Bezos como preservar a cultura da empresa diante de todo esse crescimento, ele respondeu:

"A meu ver, a verdadeira pergunta é: Como manter uma cultura do" Dia 1 "?"

A cultura e a mentalidade do "Dia 1" estão sempre presentes no conteúdo das cartas de Bezos.

Mas o que seria a cultura do "Dia 1"? Bezos escreve em sua carta de 1997:

"Há tantas coisas que ainda precisam ser inventadas. Tantas novidades que ainda vão surgir. As pessoas não têm a menor ideia do grande impacto que a internet vai representar e de que em muitos aspectos ainda estamos no 'Dia 1'."

Ou seja, para a Amazon a cultura do "Dia 1" é manter uma cabeça de startup, buscando sempre inovação e excelência.

Você já refletiu sobre qual é a cultura da sua empresa? Seus funcionários estão alinhados a ela?

Princípio 12: Focar em padrões de excelência

Quem trabalha no mundo dos negócios precisa ter como lema a seguinte frase:

"Se você acha caro contratar um profissional, espere até contratar um amador."

O Princípio 12 do livro "As Cartas de Bezos" diz que, quanto mais uma empresa cresce, mais ela precisa investir em excelência. E a única forma de manter padrões de excelência é contratando bons profissionais.

Quando você diminui os padrões de exigência durante um processo de contratação, seus padrões para contratação irão decair cada vez mais.

Lembre-se: uma empresa que se torna medíocre não consegue manter padrões de excelência.

Princípio 13: Medir o que importa, questionar o que é medido e confiar na própria intuição

Para Jeff Bezos, as métricas que mais importam são os dados e o dinheiro. Porém, ele não confia apenas nos dados. Bezos gosta de estudar informações de relatos isolados para garantir que nada está sendo ignorado.

Quando sua empresa está crescendo, os dados são essenciais. Porém, é necessário combinar dados com intuição e instintos. Afinal, a intuição é um instinto de sobrevivência. E, se combinada com os dados, torna-se uma arma poderosa.

Princípio 14: Acreditar que é sempre o "Dia 1"

Segundo os autores Steve Anderson e Karen Anderson, existe uma frase que está sempre presente nas cartas de Bezos:

"Como sempre, anexo uma cópia de nossa carta original, de 1997. Continua sendo o 'Dia 1'."

O conceito do "Dia 1" representa todos os princípios que ajudaram a Amazon a se tornar a grande empresa que é hoje. Esta é uma forma de relembrar os valores iniciais e a obsessão pelo cliente.

O maior objetivo das startups é conquistar clientes e se destacar. Dessa forma, elas exploram tudo que é novo para crescer e atrair clientes. E esse é um dos maiores segredos do crescimento da Amazon.

Portanto, mantenha sempre a mentalidade de uma startup que busca inovar e conquistar vendas.

O que outros autores dizem a respeito?

Como vimos, um dos princípios que movem a Amazon é a obsessão pelo cliente. Você conhece bem quem é seu cliente? Sabe quais são seus problemas e como resolvê-los? A leitura de "Quem é Seu Cliente" te ajudará a entender seus atuais clientes e como conquistar novas vendas.

E claro, a Amazon não seria nada sem o constante incentivo à inovação. Então, porque não ler "A Estratégia da Inovação Radical"? Neste resumo, o autor Pedro Waengertner te ensinará os princípios utilizados pelas grandes empresas do Vale do Silício que podem melhorar seus lucros.

Por fim, Jeff Bezos deixa claro em seus princípios que é impossível inovar e apostar em novas ideias sem estar disposto a fracassar. Mas claro, lidar com o fracasso não é fácil. Então, sugerimos a leitura de "Como Fracassar Em Quase Tudo e Ainda Ser Bem-Sucedido" para aprender a transformar fracasso em sucesso!

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

Os 14 princípios aplicados por Jeff Bezos foram essenciais para transformar a Amazon no que é hoje, então que tal relembrar algumas das estratégias mais enfatizadas no livro "As Cartas de Bezos"?

  • Use o fracasso como um "estudo de caso" para transformar seu negócio;
  • Incentive seus funcionários a testarem novas ideias;
  • Desafie sua equipe a sempre encontrar novas maneiras de melhorar a experiência dos clientes;
  • Motive seus funcionários a tomarem decisões e empodere-os para que cuidem da empresa como se fossem donos;
  • Use e abuse da tecnologia, não deixe sua empresa se tornar obsoleta;
  • Estabeleça a cultura do "Dia 1". Busque sempre inovar e agradar os clientes da mesma forma que você fazia quando sua empresa começou!

Gostou desse resumo do livro "As Cartas de Bezos"?

Não estávamos mentindo em dizer que a leitura deste livro é como ter o próprio Jeff Bezos como seu mentor nos negócios, certo?

Esperamos que você possa aplicar os princípios extraídos por Steve Anderson e Karen Anderson para fazer sua empresa crescer, assim como Jeff Bezos fez com a Amazon.

E, se quiser conferir a versão completa do livro "As Cartas de Bezos", é só clicar na imagem abaixo:

Livro 'As Cartas de Bezos'

Nota:

O conteúdo apresentado acima traduz a visão e análise crítica da nossa equipe de redatores, respeitando os fundamentos de propriedade intelectual no Brasil (artigo 8, inciso I).
Nenhuma parte do livro está sendo copiada. São conteúdos únicos e exclusivos, sempre dando créditos aos autores e indicando o link para aquisição da obra completa. A PocketBook4You respeita o código de direitos autorais de acordo com o estabelecido na legislação brasileira, Lei 9.610/98.
Este conteúdo é de propriedade exclusiva da PocketBook4You e está protegido pela Lei de Direitos Autorais em seus artigos 46, I, (a) e em seu artigo 47, isso porque não se trata de reprodução e também não lhe implicam qualquer descrédito, pelo contrário, o direito moral é protegido e, como ressaltado anteriormente, o leitor recebe um link para adquirir a obra. É proibida a reprodução deste material sem a autorização da empresa.

Adicionar aos Favoritos
Adicionar Para Ler
Marcar como Lido
Experimente ser premium

Experimente ser premium

Aprenda um novo livro a cada dia. Se inscreva na news e confira os destaques de hoje!