Manual do CEO - Josh Kaufman

Manual do CEO - Josh Kaufman

CEOs de sucesso: quem são? De onde eles vêm? Como se formam? Como eles crescem em tempos de crise? E como se tornar um deles? Descubra agora nesse manual.

Você é, ou quer ser, um CEO de sucesso? Alguma vez se perguntou por que é tão difícil fazer as coisas acontecerem? Se a resposta for sim, o livro "Manual do CEO", do autor Josh Kaufman, foi feito para você.

Ele é um verdadeiro manual de boas práticas ideal para quem deseja passar do nível tático ao estratégico.

Segundo David Allen, autor de "A Arte de Fazer Acontecer":

"Poucos sabem a arte de fazer acontecer como Josh Kaufman."

Quer saber mais? Então continue a leitura deste PocketBook e confira os melhores conceitos de negócio e conhecimentos de cursos de MBA!

Sobre o livro "Manual do CEO"

O livro "Manual do CEO: Um verdadeiro MBA para o gestor do século XXI", de Josh Kaufman, tem 400 páginas de leitura clara e objetiva, que também é sistemática em todas as áreas da administração.

Lançado em 2010, a obra é considerada por muitos um verdadeiro MBA, pois o autor condensa, em um único volume, ensinamentos práticos e inúmeros cases.

Josh Kaufman transmite dicas valiosas e ensina o leitor a dominar conceitos importantes de cada área, o que colabora para ampliar a sua visão como executivo ou empreendedor.

Sobre o autor Josh Kaufman

Josh Kaufman é um dos 100 melhores autores de negócios do mundo. Ele foi destaque como o autor #1 best-seller em Negócios e Dinheiro, conforme classificado pela Amazon. com.

Além disso, ele conduz uma pesquisa independente e contínua em negócios, empreendedorismo e produtividade. O seu ponto forte é ajudar as pessoas a ganharem mais dinheiro, aumentando sua produtividade e seu prazer de viver.

A conversa de Josh no TEDx é um capítulo à parte. Nas primeiras 20 horas, o vídeo de sua palestra foi visto mais de 6, 7 milhões de vezes em todo o mundo, o que o colocou no top 10 vídeos TEDx.

"JoshKaufman. net", o site do autor, foi nomeado um dos "100 Melhores Sites para Empreendedores" pela Forbes em 2013.

"As Primeiras 20 horas: como aprender qualquer coisa... rápido" é mais um dos seus livros de sucesso.

Esse livro é indicado para quem?

O livro "Manual do CEO" é indicado para diretores executivos, empreendedores e todos aqueles que estão pensando seriamente em empreender.

Ideias principais do livro "Manual do CEO"

O livro é dividido em capítulos que abrangem todas as áreas da Administração (passando por Finanças, Marketing, RH e Vendas). Um ponto positivo é que cada capítulo possui um subcapítulo curto, prático e de simples absorção.

Assim, mesmo quem não é da área da gestão pode aprender conceitos que são essenciais para sobreviver nesse mercado. Segue uma relação das principais ideias do livro:

  • É mesmo arriscado abrir um negócio?;
  • É preciso ter um plano de negócios perfeito antes de abrir a sua empresa?;
  • Você tem mesmo que levantar um enorme capital antes de desenvolver o seu negócio?;
  • Afinal, o importante é o que você sabe, ou quem você conhece?;
  • O que é a Lei de Ferro do Mercado e para que serve?;
  • As Doze Formas Padrão do Valor e como aplicá-las no seu negócio.

Faça o Download do Resumo do Livro "Manual do CEO" em PDF grátis

Está sem tempo para ler agora? Então faça o download gratuito do PDF e leia onde e quando quiser:

[Resumo do Livro] Manual do CEO - Josh Kaufman, PDF

Você não precisa saber tudo

Sim, é isso mesmo: você não precisa saber tudo!

O autor assegura que, para se aprender sobre qualquer tema, você só precisa conhecer conceitos de importância crítica.

De acordo com o escritor, uma vez que nós temos os princípios essenciais como base do trabalho, se torna simples e descomplicado desenvolver todo o nosso conhecimento e progredir sempre.

O livro apresenta, por exemplo, um conjunto de conceitos fundamentais de negócios que você pode utilizar para realizar suas aspirações.

Josh diz que a leitura de livros e a busca pelo conhecimento, de um modo geral, são o que vão te dar uma base firme de conhecimentos de negócios que você poderá aplicar às suas atividades práticas. E, logo que dominar esses fundamentos (bum!): estará pronto para atingir todas as suas metas com facilidade!

Modelos mentais, não métodos

O autor chama os conceitos fundamentais de negócios de "modelos mentais". Ele considera que, juntos, esses conceitos criam um sólido quadro de referência no qual podemos nos basear para tomarmos as nossas boas decisões.

Josh Kaufman explica que modelos mentais são conceitos que representam o nosso entendimento de "como as coisas funcionam no mundo real".

Por outro lado, ele enfatiza que os modelos mentais que você forma sozinho não são completamente precisos. Isso porque você é uma única pessoa, de forma que o seu conhecimento e as suas experiências são limitados.

Para mudar isso, você deve apostar na educação. A educação vai te ajudar a aprender a ver o mundo de uma maneira nova e mais produtiva. Sob a perspectiva de pessoas com outras vivências e bagagens: de pessoas vencedoras!

Como começar um negócio do zero?

De acordo com o livro, corrigir os nossos modelos mentais pode nos ajudar a pensar com mais clareza no que estamos fazendo. Isso nos ajuda a tomar melhores decisões no mundo dos negócios.

Para elucidar seu ponto de vista, Kaufman fala que muitas pessoas acham arriscado abrir seu próprio negócio. Ou então que você deve ter um grande plano antes de botar seus negócios em prática.

Tais pensamentos, segundo o autor, são modelos mentais que não são precisos. Eles nos deixam em dúvida sobre nossas ações e são obstáculos para fazermos o que queremos.

O que Josh quer dizer, com base em suas experiências de vida, é:

  • A incerteza sempre faz parte dos negócios, mas vale a pena correr os riscos, que podem ser minimizados;
  • Elaborar por escrito um plano de negócios pode ficar em segundo plano;
  • Por mais que você se prepare, sempre haverá surpresas ao longo do caminho;
  • Levantar fundos, só se não tiver outro jeito (como para construir uma fábrica);
  • Conexões pessoais são importantes, mas o conhecimento é fundamental se você quiser se beneficiar ao máximo dessas conexões;
  • Para não se sentir intimidado e não perder o controle sob pressão, aprenda os conceitos acima.

A Lei de Ferro do Mercado

"E se você der uma festa e ninguém aparecer?". Com esta pergunta, o autor introduz o capítulo sobre a "Lei de Ferro". Você já sabe do que se trata?

Na verdade, é algo muito simples. A Lei de Ferro afirma que a performance de um negócio nem sempre consiste em um produto mal projetado. Para ter noção, até uma tecnologia sofisticada pode não "decolar".

Então, qual é a questão? Na Lei de Ferro, você tem que se perguntar se o mercado em que está investindo de fato existe. Na visão do autor, esse tipo de falha acontece com novas empresas todos os dias.

É que sem a receita necessária para se sustentar, qualquer empresa está fadada ao fracasso. Por isso, a sua receita depende das pessoas realmente quererem o que você tem a oferecer.

"É um desperdício criar algo que ninguém quer", ele afirma. Por isso mesmo, o escritor salienta a importância da pesquisa de mercado nos negócios.

Fazendo isso você não ficará sozinho ou "perdido" no seu negócio!

As 12 Formas Padrão do Valor

Como acabou de ver, a Lei de Ferro exige que o seu mercado exista.

Depois, para proporcionar valor com sucesso o seu produto deve assumir uma forma pela qual o seu público-alvo esteja disposto a pagar.

Mas de que forma o seu produto pode ser projetado para atender ao mercado promissoramente? Bem, não existe uma forma exata, mas doze!

  1. Produto: crie algo tangível. Depois, venda e faça a sua entrega por um valor maior do que o custo de produção;
  2. Serviço: preste assistência, mas cobre uma taxa;
  3. Recurso Compartilhado: crie um ativo utilizável por muitas pessoas e cobre pelo acesso;
  4. Assinatura: ofereça um benefício contínuo e cobre uma taxa recorrente;
  5. Revenda: compre de um atacadista e venda o produto no varejo por um preço maior;
  6. Arrendamento: adquira um ativo e o "alugue" cobrando uma taxa;
  7. Agenciamento: promova e venda um ativo ou atendimento de terceiros e cobre uma taxa de porcentagem do preço de transação;
  8. Agregação de audiência: conquiste um público e venda o seu acesso a outra empresa em troca de propaganda;
  9. Empréstimos: empreste dinheiro com uma taxa de juros predeterminada;
  10. Opção: ofereça uma determinada ação por um período fixo e cobre uma taxa;
  11. Seguro: assuma o risco pelo seu segurado, receba por isso, e pague sinistros apenas se for necessário;
  12. Capital: compre a participação de um negócio em troca de uma parcela dos lucros (como um pagamento único ou um dividendo contínuo).

E aí, animado para colocar "a mão na massa"?

O MBA "pessoal" de Josh Kaufman

Esse tópico é aberto com a seguinte frase de Isaac Asimov, bioquímico e autor de diversos livros:

"Acredito piamente que o autodidatismo é o único tipo de educação que existe."

Segundo o próprio autor, as pessoas muitas vezes lhe perguntam se ele tem um MBA. "Não", ele responde, acrescentando logo que frequentou uma escola de negócios.

Quando Josh era um estudante na University of Cincinnati, ele teve a chance de participar do programa Carl H. Lindner Honors-PLUS, que é, em essência, um MBA no nível de graduação.

O autor afirma que teve a sorte de contar com uma bolsa de estudos e, em consequência, aproveitou a oportunidade de vivenciar a maior parte do que as escolas de negócios oferecem.

Depois disso, Josh Kaufman também foi — como ele próprio diz — uma "estrela em ascensão a caminho do sucesso corporativo".

O "MBA pessoal" na prática

Por meio do programa, ele passou a atuar na gestão em uma empresa da Fortune 50 — a Procter & Gamble — já em seu segundo ano de faculdade.

Conforme explicado no livro, quando se formou, em 2005, recebeu a oferta de se tornar um gestor assistente de marca na divisão de produtos de limpeza da P&G. Tal cargo, em geral, é reservado a diplomados em programas de MBA.

Já no último semestre da faculdade, o autor concentrou-se menos nos estudos e mais no futuro. O novo emprego exigiria o conhecimento de negócios e praticamente todos os seus colegas e chefes já teriam diplomas de MBAs.

Nesse momento, ele cogitou em se matricular em um programa desse, mas viu que não fazia sentido lutar por uma credencial para obter o tipo de emprego que já tinha.

Nisto, ele se lembrou de um conselho profissional de Andy Walter, diretor associado da P&G:

"Se dedicar o mesmo tempo e energia que passaria tirando um diploma de MBA para realizar um bom trabalho e desenvolver suas habilidades, você não estará perdendo nada."

Por isso, Josh escolheu abrir mão da escola de negócios, mas não da educação nos negócios. Em vez de se matricular em um programa, deixou a sala de aula e se dedicou aos livros para criar, ele mesmo, o seu MBA "pessoal".

O que outros autores dizem a respeito?

No livro "O MBA da Vida Real", Jack Welch e Suzy Welch, contam, através de pessoas que revolucionaram suas carreiras, como ter sucesso trabalhando com o que gosta. Um dos passos para isso é ter bem claro a resposta para a pergunta: "O que é melhor, encontrar culpado ou resolver o problema?". Fácil de responder, né?

Os autores Jim Collins e Jerry Porras reforçam a ideia de que você não precisa ter o melhor plano ao abrir seu negócio. Em "Feitas para Durar", eles afirmam que a maioria das empresas visionárias não começaram com uma ideia revolucionária que as fez ter sucesso logo no início.

Na verdade, elas tiveram um começo devagar e, com o tempo, conseguiram dominar seus mercados.

Por fim, no livro "A Bíblia das Vendas", o autor Jeffrey Gitomer aconselha que a ferramenta mais importante e fundamental para qualquer negócio é a sua mente. A autoconfiança é a chave para controlá-la, se você não acreditar em si mesmo, ninguém acreditará.

Certo, mas como posso aplicar isso na minha vida?

  • Comece agora o hábito da leitura: isso vai te dar uma base firme de conhecimentos de negócios;
  • Converse com profissionais que saibam mais do que você — nem que seja em uma área específica;
  • Trabalhe em uma empresa ou em um projeto onde possa aprender sobre os negócios na prática;
  • Faça conexões com pessoas que você chamaria para o seu "time";
  • Empreenda: abra os seus próprios negócios! Você vai se tornar um grande CEO à medida que for praticando;
  • Monte o seu time: lembra das conexões com "as pessoas certas" que acabamos de falar?;
  • Ponha a sua ideia em prática: depois disso, "com o carro andando", você pode ajustar as coisas no papel;
  • Se prepare para cada desafio, mas sobretudo para as surpresas: elas fazem parte da rotina de todo CEO;
  • Comece com o que você tem: "isso de levantar fundos" pode vir em um segundo momento;
  • Faça conexões pessoais (com CEOs e profissionais maiores do que você), mas apenas quando já tiver o conhecimento apropriado para se beneficiar dessas conexões;
  • Faça pesquisas de mercado e certifique-se de há um público disposto a pagar pelo seu produto;
  • Está lembrado das "Doze Formas Padrão do Valor" que acabamos de falar aqui em cima? Para ficar craque, você tem que estudar e praticar.

Gostou desse resumo do livro "Manual do CEO"?

Esperamos que você tenha gostado do nosso resumo e consiga aplicar os conselhos do autor, Josh Kaufman, no seu negócio. Deixe sua opinião nos comentários, seu feedback é muito importante para nós!

Além disso, para se inteirar mais sobre o conteúdo, adquira o livro clicando na imagem abaixo:

Livro “Manual do CEO”

Adicionar aos favoritos
Ler mais tarde
Marcar como lido
Create Account
Cadastre-se gratuitamente

E receba semanalmente resumo dos maiores best sellers para ler e ouvir quando quiser!